Pular para o conteúdo

Notícias

Estudantes de Licenciatura em Química desenvolvem oficina de compostagem em escola de Içara

EXTENSÃO Data de Publicação: 22 jul 2021 08:31 Data de Atualização: 26 jul 2021 09:08

Estudantes de Licenciatura em Química do Câmpus Criciúma do IFSC realizaram ao longo do primeiro semestre deste ano um projeto inovador e desafiador em tempos de pandemia. Durante cerca de cinco meses, alunos da terceira fase do curso realizaram oficinas de compostagem com alunos da escola municipal Tranquillo Pissetti, de Içara, num laboratório vivo de conscientização ambiental e experimentações didáticas para futuros professores.

O projeto foi encerrado nesta terça-feira (20), durante a feira de ciências da escola, em que os participantes do projeto puderam socializar com a escola os resultados das oficinas de compostagem realizadas ao longo do primeiro semestre. “Foi uma feira muito bonita. Os alunos compartilharam os saberes que tiveram ao longo do nosso projeto com toda a escola. Em forma de feira científica, as crianças polinizaram os conhecimentos com seus colegas, do primeiro ao nono ano do ensino fundamental, sendo que todas as turmas puderam conhecer o trabalho”, relata a professora Gisélia Antunes Pereira, uma das coordenadoras do projeto.

As oficinas foram realizadas a partir de um projeto de pesquisa, intitulado “A compostagem como eixo temático para aprendizagem de Química e apropriação dos saberes da docência: o ensino por pesquisa na formação inicial de professores do IFSC Criciúma”. Este projeto era vinculado também a uma atividade de ensino, no âmbito da Prática como Componente Curricular (PCC), em que os alunos de Licenciatura em Química desenvolvem uma atividade prática multidisciplinar, com objetivo de experimentar e refletir sobre o ensino e a aprendizagem de Química. A ação de ensino foi chamada “Compostando Ideias: a Arte de Cultivar e Reutilizar”.

O objetivo do projeto era avaliar se a temática sobre compostagem poderia potencializar a aprendizagem dos futuros professores de Química e também despertar o interesse dos estudantes de ensino fundamental para a área das ciências. Durante o primeiro semestre de 2021, foram realizados encontros quinzenais com 12 estudantes de diferentes turmas dos anos finais do ensino fundamental da escola Tranquillo Pissetti, no contraturno escolar, com oficinas sobre produção de minicomposteiras e hortas orgânicas e discussões sobre conteúdos de Química relacionados à compostagem.

Educação ambiental

Para mobilizar os alunos para a temática da reciclagem, os estudantes de Química do IFSC promoveram discussões sobre nosso modelo de consumo e a produção de lixo, relacionando a questão ambiental ao dia a dia da escola. Temas como a importância da separação do lixo, o tratamento de resíduos sólidos e os processos físico-químicos que ocorrem na compostagem foram sendo trabalhados em sala de aula, culminando na produção de minicomposteiras em garrafas pet.

“Foi uma grande oportunidade para que nós conseguíssemos aprender mais sobre a pauta da compostagem e compartilhar esse conhecimento com os alunos da escola. Todos os feedbacks que recebemos de cada encontro me fazem perceber cada vez mais a importância de intervenções como a do Compostando Ideias no cotidiano das crianças, que desde o início se engajaram muito nas atividades propostas”, conta a aluna do IFSC, Laura Alessandra Padro. “Perceber que o que planejamos gera impacto na vida dos alunos é a parte mais gratificante, pois todos os encontros são pensados e repensados objetivando um momento dinâmico e proveitoso aos estudantes. Buscamos abordar questões ambientais, sociais e científicas e saber que esse conhecimento se mostrou válido na perspectiva deles é muito bom”, complementa.

Para Renan De Bona Sartor, também estudante de Licenciatura em Química, o projeto teve o mérito de conectar os conteúdos ao cotidiano dos alunos da escola. “Foi possível desenvolver nos alunos a conscientização para a preservação dos recursos naturais, conceitos de reciclagem, além de aspectos físico-químicos do solo, do processo de compostagem e também a valorização de fertilizantes naturais para a produção de alimentos orgânicos. Possibilitamos uma série de intervenções que proporcionaram aos alunos ter maior proximidade com o tema compostagem e os ambientes que serão destinados para o mesmo na escola”, diz.

Construção coletiva

Divididos em grupos, os alunos de Licenciatura em Química eram responsáveis pela organização de cada uma das oficinas. O desafio também foi desenvolver o projeto em tempos de pandemia. Os estudantes do IFSC planejavam o andamento das atividades em reuniões on line e contavam com a intermediação da colega Indiara Alves, aluna de Licenciatura em Química e professora na escola Tranquillo Pissetti, que ficou responsável pela articulação presencial das oficinas.

“Foi uma jornada muito interessante e satisfatória. A determinação, vista nos alunos tanto do IFSC quanto da escola foi o principal por tornar toda a experiência tão cativante, mesmo para aqueles, como eu, impossibilitado de participar presencialmente dos esforços do projeto em razão da pandemia”, afirma Marcus Pereira, estudante do IFSC.

Multidisciplinar, o projeto envolveu conhecimentos de diferentes unidades curriculares do curso de Licenciatura em Química, tais como Desenvolvimento Humano e Aprendizagem, Química Analítica, Química Geral Experimental e Química Inorgânica Experimental. Participaram do projeto os professores Carmine Acker, Eduardo Ribeiro, Giselia Pereira, Lucas Dominguini e Victor Rodrigues. Os estudantes que desenvolveram as oficinas foram Ana Paula Cavinatto, Anderson Romeu, Indiara Alves, João Victor Biava, Kellen Dias, Laura Milani, Marcus Pereira e Renan De Bona Sartor.

A partir das minicomposteiras, a escola Tranquillo Pissetti pretende desenvolver uma composteira maior e também uma horta orgânica no pátio da instituição.

EXTENSÃO CÂMPUS CRICIÚMA PESQUISA

Nó: liferay-ce-prod01

Este site usa cookies para garantir que você obtenha a melhor experiência. Leia Mais.