Pular para o conteúdo

Notícias

Encontro do 1º aniversário do Clube do Livro do IFSC debate Fahrenheit 451 e o mundo onde os livros são proibidos

EXTENSÃO Data de Publicação: 03 set 2021 14:51 Data de Atualização: 07 set 2021 21:08

O Clube do Livro do IFSC completa um ano de funcionamento neste mês de setembro com uma sugestão de leitura muito apropriada para discussão em seu primeiro aniversário: o clássico da ficção científica e da literatura distópica Fahrenheit 451, de Ray Bradbury, que retrata um mundo onde os livros são objetos proibidos, os leitores são tachados de criminosos e a literatura está ameaçada de extinção. O encontro será no próximo dia 24, às 16h, em plataforma virtual.

Clique aqui para acessar o formulário de inscrição

“O clube do livro estará completando um ano justamente no encontro que será mencionada a queima de livros. Uma coincidência que se torna bacana por ter pessoas leitoras se deparando com esse assunto. Considero recomendável essa situação contraditória para ter uma discussão e sair da zona de conforto”, comenta o auxiliar de biblioteca do Câmpus São Carlos, Tiago Daniel de Jesus Costa, que será o mediador do encontro.

Lançado em 1953, o romance Fahrenheit 451 apresenta uma sociedade que considera as opiniões próprias como antissociais. “A felicidade pela imagem televisa e pelos remédios é uma alternativa que causa o isolamento social. Como em todo lugar, existem pessoas loucas que provam o gosto da chuva e que não têm medo de bombeiros. Esse livro aumenta tanto a temperatura em que o papel pega fogo e queima. Tenha cuidado com seus dedos ao folhear”, brinca Tiago, em referência à atribuição dos bombeiros de Fahrenheit 451, de atear fogo aos livros ao invés de apagar incêndios.

Para explicar melhor o teor da história, Tiago cita uma passagem do prefácio escrito por Manuel da Costa Pinto: “Os bombeiros de Bradbury são agentes da higiene pública que queimam livros para evitar que suas quimeras perturbem o sono dos cidadãos honestos, cujas inquietações são cotidianamente sufocadas por doses maciças de comprimidos narcotizantes e pela onipresença da televisão.” A obra está disponível para download gratuito.

Próximos encontros

24/09 | Fahrenheit 451 - Ray Bradbury

22/10 | Ciranda de pedra - Lygia Fagundes Telles

26/11 | Grande sertão: veredas - João Guimarães Rosa

Aniversário

Organizado pelas Bibliotecas do IFSC, o Clube do Livro virtual foi uma das estratégias adotadas, depois da suspensão das atividades presenciais, para adaptar os inúmeros projetos de incentivo à leitura realizados nos câmpus. O primeiro encontro foi em 25 de setembro do ano passado, com a discussão de Macunaíma, do escritor Mário de Andrade.

Conforme a bibliotecária da Diretoria de Ensino da Pró-Reitoria de Ensino e idealizadora do projeto, Karla Viviane Garcia Moraes, a avaliação do clube é bastante positiva, especialmente por oportunizar a participação de leitores de várias cidades do estado e a manifestação de opiniões e visões diferentes sobre uma mesma obra.

Outro ponto que a bibliotecária considera fundamental para a consolidação do projeto é a parceria com os mediadores convidados, de dentro e fora do IFSC, que faz com que o clube “tenha a cara do IFSC e não da coordenação”. “Agradeço a todos os mediadores por trazerem sua bagagem e enriquecerem ainda mais nossos encontros”, enaltece Karla.

O mediador do encontro deste mês é fã do projeto. “Pelo Clube do Livro percebi que a leitura leva para o mundo do passado e do futuro, faz sentir os personagens e conhecer o comportamento humano na sua vivência individual e coletiva. Nessas histórias, existem limitações que podem ser por condição social e psicológica, mas que podem causar uma liberdade pela inquietação com as barreiras encontradas. Uma viagem que faz construir e desconstruir o entendimento ou apenas questionar”, pondera Tiago da Costa.

EXTENSÃO EVENTOS

Nó: liferay-ce-prod02

Este site usa cookies para garantir que você obtenha a melhor experiência. Leia Mais.