Pular para o conteúdo

Notícias

Projeto Tekoá Pirá é selecionado para prêmio nacional do Iphan pela 2ª vez

EXTENSÃO Data de Publicação: 22 dez 2021 13:09 Data de Atualização: 27 dez 2021 07:43

O projeto Tekoá Pirá foi um dos selecionados pelo Prêmio Rodrigo Melo Franco do Iphan (Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional) na categoria de inovação no contexto de pandemia. Esta é a segunda vez que o Tekoá Pirá é selecionado para o Prêmio. Em 2020, foi classificado para a etapa estadual e em 2021, foi novamente para etapa estadual e desta vez, ganhou a etapa nacional tendo sido premiado.

Em 2020 participou com o projeto “Proteção e valorização do patrimônio cultural da Ilha de Santa Catarina: Roteiros de turismo de base comunitária (TBC) e salvaguarda”. Agora, na edição 2021, foi novamente uma das dez selecionadas entre as 447 inscritas com o projeto “Patrimônio Cultural e Turismo de Base Comunitária (TBC): a metodologia do projeto Tekoá Pirá para a preservação da cultura tradicional da Ilha de Santa Catarina”.

Claudia Hickenbick, professora do Câmpus Florianópolis-Continente e uma das coordenadoras do projeto, explica que o Tekoá contribui para uma dimensão da preservação que normalmente é pouco efetiva, que é o momento pós certificação, o Plano de Salvaguarda. Ela comenta: "É este acompanhamento, é o estar junto com os detentores nos seus desafios por manter a sua prática cultural. Este é um dos maiores desafios na preservação do patrimônio cultural imaterial, não apenas em Santa Catarina, mas no Brasil e na América Latina”.

Outra questão importante, apontada por Claudia, é o entendimento sobre o Turismo de Base Comunitária (TBC) como uma ferramenta de preservação. “Este é um conceito que vem sendo construído pelo Tekoá e pelo IFSC, e que o TBC é principalmente preservação dos lugares, sendo a visitação uma consequência. Este prêmio é uma chancela para esta ideia, e isso é muito bom, especialmente num momento em que os câmpus Florianópolis-Continente e Garopaba estão construindo um Programa de Extensão nesta perspectiva”, finaliza.

O projeto é desenvolvido pela comunidade Tekoá Pirá com apoio do Câmpus Florianópolis-Continente do IFSC e, mesmo durante o isolamento por conta da Covid-19, manteve uma série de atividades utilizando recursos on-line como forma de manter a salvaguarda da pesca artesanal da tainha na comunidade, que em 2019 conquistou o registro de patrimônio cultural e imaterial de Santa Catarina pela Fundação Catarinense de Cultura.

Sobre o prêmio:

O Prêmio Rodrigo Melo Franco de Andrade é o principal concurso voltado para a valorização do Patrimônio Cultural no país. Reconhece ações de preservação e salvaguarda do Patrimônio Cultural brasileiro que mereçam divulgação e reconhecimento público em razão da sua originalidade, vulto ou caráter exemplar. Em 2021, o edital premiou ações que se adaptaram ao contexto da pandemia. Além disso, os conceitos de patrimônio material e imaterial foram integrados em uma única categoria. Confira outras informações sobre o prêmio aqui

EXTENSÃO

Nó: liferay-ce-prod01

Este site usa cookies para garantir que você obtenha a melhor experiência. Leia Mais.