Pular para o conteúdo

Notícias

Egresso de Jaraguá do Sul é aprovado em mestrado da USP

ENSINO Data de Publicação: 08 mar 2022 07:15 Data de Atualização: 09 mar 2022 17:28

Formado em 2021 no curso superior de Licenciatura em Física do Câmpus Jaraguá do Sul-Centro, o egresso Leopoldo Gorges Neto agora é um dos alunos do mestrado profissional em Ensino de Astronomia do Instituto de Astronomia, Geofísica e Ciências Atmosféricas (IAG) da Universidade de São Paulo (USP). Na nova etapa da formação acadêmica, o ex-aluno do IFSC dará continuidade a estudos que começaram na graduação, sempre voltados à formação de professores de física e ao ensino de astronomia, e que poderão seguir também para um futuro doutorado na área.

Após cinco anos frequentando corredores e salas do IFSC do Centro (2017 a 2021), Leopoldo agora faz parte do time de pesquisadores do IAG/USP, que é referência mundial em pesquisas de astronomia, astrofísica e cosmologia. “O mestrado profissional em Ensino de Astronomia foi o que mais se adequou aos meus objetivos de contribuir com a área de educação em astronomia, visto que possui professores amplamente reconhecidos por seus trabalhos e experientes no ensino de astronomia”, destaca.

Na USP, o egresso de Jaraguá do Sul desenvolverá sua pesquisa focando na astronomia dentro da formação dos professores de física, mais especificamente a “astronomia multimensageira* numa perspectiva histórico-conceitual”. “Amo astronomia e durante a graduação aprendi a amar ensinar física. Isso, aliado à motivação e ao compromisso com uma educação crítica que meus professores me inspiraram, me levaram ao mestrado”, afirma o egresso do IFSC.

A escolha do tema de pesquisa tem conexão com a experiência de Leopoldo durante o curso superior no IFSC. “Entrei na graduação ciente da responsabilidade de ser um professor de física diante das desinformações e negacionismos dos tempos atuais e o IFSC me deu a oportunidade de me dedicar exclusivamente à minha formação. No âmbito da astronomia, participei em projetos como bolsista, como o ‘Oficinas de Física’ – no qual uma das atividades era construir telescópios com estudantes de escolas da rede pública – e o ‘Astronoifsc’ – onde desenvolvemos uma metodologia de construção e processamento de astrofotografias”, lembra.

Em seu Trabalho de Conclusão de Curso, Leopoldo também se dedicou à astronomia e à formação docente. “Meu TCC teve como foco a formação do professor de física no âmbito da astronomia e identifiquei que nosso curso é um ponto fora da curva no Sul do Brasil: a maioria das licenciaturas em Física não possui uma disciplina específica de astronomia, ou possui mas é ofertada como eletiva. Aqui no câmpus temos duas obrigatórias! O que é bastante producente numa perspectiva de formação integral de um professor de física: não há como naturalizarmos professores desta área que não saibam articular saberes básicos da astronomia”, explica o mestrando.

Para chegar até o IAG/USP, Leopoldo teve uma trajetória de muito envolvimento com o IFSC e com as oportunidades disponibilizadas pela instituição. “O IFSC contribuiu com diversas iniciativas que facilitaram minha permanência na instituição. Participei de monitorias, projetos de extensão e programas de iniciação à docência. Além disso, tive a oportunidade de desenvolver trabalhos com orientação de professores que me proporcionaram experiências que vou levar para a vida toda”, conta.

Entre os principais destaques na formação acadêmica estiveram o desenvolvimento de trabalhos científicos e a participação em seminários e eventos, tanto como ouvinte quanto palestrante, em Jaraguá do Sul, Araranguá, Florianópolis, Salvador (BA), Pelotas (RS) e Canoas (RS). “Com a orientação de professores extremamente capacitados, fui sendo gradativamente introduzido à pesquisa e ali encontrei um lugar que quero e posso contribuir. A participação dos professores do IFSC na minha formação foi decisiva para o caminho que consegui trilhar, desde as conversas em sala até as ‘conversas de corredor’. Foi com o comprometimento deles que aprendi que tipo de profissional eu quero ser”, aponta.

A previsão de término do mestrado profissional de Leopoldo é na metade de 2023.

*O que é astronomia multimensageira: “Durante muito tempo, os objetos cósmicos foram pesquisados, em sua maioria, pela espectroscopia: um método de investigação que utiliza a luz destes objetos como fonte de informação. A astronomia multimensageira se refere às novas formas de investigar o universo a partir da primeira detecção de ondas gravitacionais em 2016”, explica o mestrando.

ENSINO CÂMPUS JARAGUÁ DO SUL-CENTRO ESTUDE NO IFSC

Nó: liferay-ce-prod03

Este site usa cookies para garantir que você obtenha a melhor experiência. Leia Mais.