Pular para o conteúdo

Notícias

Projetos do Câmpus São José contam a história de 10 mulheres que marcaram a cidade

CÂMPUS SÃO JOSÉ Data de Publicação: 21 mar 2022 16:23 Data de Atualização: 21 mar 2022 16:35

Os materiais (livro, jogo de tabuleiro e podcast) produzidos em projetos do Câmpus São José que registram as histórias de 10 mulheres que marcaram a cidade em diversas áreas foram lançados para a comunidade externa ao IFSC em um evento promovido pela Fundação Municipal de Cultura e Turismo josefense. A cerimônia, realizada no Teatro Adolpho Mello, no Centro Histórico, na última quinta-feira (17/3), homenageou as 10 mulheres e marcou as comemorações do Mês da Mulher e dos aniversários do Câmpus São José (comemorado em 14/3) e do município (19/3).

O livro “Mulheres de São José em 10 histórias” é resultado de um projeto de pesquisa do câmpus realizado em 2020, que buscou contar a história de mulheres que tiveram impacto na história da cidade em áreas como educação, reciclagem, política, cultura, assistência social, veterinária e direito. A obra foi traduzida para Libras, com auxílio de professores e estudantes do Câmpus Palhoça Bilíngue, e também deu origem a episódios de podcast. Como continuidade dessa iniciativa, em 2021 foi realizado um projeto de extensão por meio do qual foi elaborado um jogo com o tema das 10 mulheres, com o objetivo de levar essas histórias até a rede de ensino básico e regular de São José, por meio de parceria com a Secretaria Municipal de Educação.

Histórias

Entre mulheres que tiveram suas histórias contadas, está Ivonilda Maria Xavier da Silva, 76 anos, a “dona Ivone” ou “Ivone da Saúde”, como é conhecida. Baiana de nascimento e ex-moradora de Brasília, ela chegou a Santa Catarina (primeiro em Palhoça e, depois, em São José, onde vive até hoje) em 1981 e construiu na cidade uma trajetória ligada a movimentos sindicais e de valorização da área da saúde. Servidora aposentada do Ministério da Saúde (trabalhou também no Inamps, atual INSS), ela participou, por exemplo, da criação dos conselhos municipais da Saúde e do Direitos das Mulheres.

Na noite do evento no Teatro Adolpho Mello, Ivone foi uma das mulheres homenageadas que discursaram. Para ela, poder contar sua história nos projetos foi “muito bom”. “Pena que não cabe tudo no livro, de tanta coisa que a gente fez e gostaria de contar”, diz. Moradora do bairro Barreiros, ela afirma que gosta bastante da cidade e que, desde que chegou, há 40 anos, nunca pensou em ir embora.

O mesmo orgulho de contar sua história teve Aparecida Maria da Silva, a “dona Cida”, 61 anos, que há 39 mora em São José. Sul-mato-grossense de nascimento, ela estabeleceu-se no bairro Sertão do Maruim, onde criou, há 27 anos, uma associação de recicladoras. A Associação Aparecida de Lixo Sócio Cultural reúne 38 pessoas, a maioria mulheres (há somente 5 homens, segundo Cida). “Participar do livro ajudou a divulgar nosso trabalho”, comemora. A associação chega a reciclar 120 toneladas de resíduos por mês - a maior parte do material vem por doação da prefeitura.

Para a superintendente da Fundação Municipal de Cultura e Turismo de São José, Gilmara Vieira Bastos, os projetos do IFSC foram importantes para resgatar e contar a história das mulheres na cidade. “Acredito que é a primeira de muitas iniciativas como essas que teremos”, comenta. Ela lembra que a cidade possui a Medalha Albertina Krummel Maciel, por meio da qual a Câmara Municipal homenageia mulheres dada a mulheres que se destacam e prestam serviços relevantes ao município. Albertina foi a primeira vereadora e primeira presidente da Câmara Municipal de São José. 

Origem

O primeiro projeto, que deu origem ao livro, tinha como objetivo contar as histórias de mulheres que nasceram ou viveram em São José e impactaram o município, lembra a professora Ana Paula Pruner de Siqueira, uma das coordenadoras. Por meio do contato com organizações e instituições josefenses, a equipe do projeto, formada inteiramente por mulheres, chegou aos nomes das 10 homenageadas. As entrevistas foram realizadas durante a pandemia, em 2020 (o livro foi disponibilizado na versão online em dezembro daquele ano).

Com o evento de lançamento realizado na última quinta, o sentimento das coordenadoras dos projetos era de realização. “Estamos muito contentes com o fechamento desses projetos e por poder compartilhar os resultados com que participou deles”, diz a professora Sandra Albuquerque Reis Fachinello. “Uma coisa muito significativa deste evento é que o Centro foi um local onde elas circularam bastante na cidade. Era um ponto de encontro”, destaca Ana Paula. 

Além do material disponível online, quem quiser saber mais sobre as histórias das 10 mulheres de São José poderá encontrar informações em algumas edições da Feira da Freguesia, evento realizado mensalmente no Centro Histórico, em cronograma ainda a ser definido. A intenção das professoras é também poder disponibilizar o material para as escolas da rede municipal.

Mais informações podem ser encontradas na Wiki do Câmpus São José.

 

CÂMPUS SÃO JOSÉ

Nó: liferay-ce-prod03

Este site usa cookies para garantir que você obtenha a melhor experiência. Leia Mais.