Relato do Eduardo Ilha | PROPICIE 16

BLOG DOS INTERCAMBISTAS Data de Publicação: 01 nov 2019 15:21 Data de Atualização: 01 nov 2019 15:27

Venho por meio deste, relatar os acontecimentos de minhas últimas três semanas de atividades relacionadas ao PROPICIE 16, perdão pelo atraso no envio do e-mail, porém tive alguns problemas pessoais e não pude envia-lo.

       Na terceira semana de outubro realizei as seguintes atividades:
         - Preparo das amostras para análise de sódio e potássio: preparamos amostras em triplicata de cada solo, adicionamos substâncias extrativas e então filtramos para fazer a análise da quantidade de sódio e potássio futuramente.
        - Leitura da biomassa seca dos ensaios de germinação: as amostras de vegetais que germinaram no ensaio de germinação foram secas na estufa e, então, pesadas para determinação da matéria seca.
        - Leitura da matéria orgânica dos ensaios de germinação: colocou-se na mufla as amostras de vegetais que germinaram no ensaio de germinação, estas foram queimadas, restando apenas a matéria inorgânica e, por meio de cálculos, determinou-se a matéria orgânica de cada amostra.  
        - Análise de atividade enzimática (ureases);
        -  Ensaio ecotoxicológico com Thamnos: semelhante com o que é feito com as algas, foi feito com um crustáceo, que foi submetido a um meio com amostra de águas dos solos lixiviados, analisando-se sua mortalidade ao viver no meio com diferentes concentrações do solo lixiviado.
        - Ensaio ecotoxicológico com Vibrios: assim como a alga e o Thamnos, realizou-se um teste ecotoxicológico com bactérias do gênero Vibrio, onde, por meio da emissão de luz realizada por elas, é possível medir sua concentração no meio, logo, é possível ver sua taxa de mortalidade em determinado tempo. 
        - Preparo do solo: o solo seco foi crivado para seu uso futuro em análises.
        - Análise do pH e condutividade da água: analisou-se os parâmetro pH e condutividade das águas coletados do projeto FitoFarmGest.

       Sobre o artigo, estou com certa dificuldade em encontrar algo sobre o qual possa escrever. Os dados de meu projeto pertencem ao doutorado de uma das bolsistas que trabalham comigo, chamada Clarisse, logo estou buscando por um tema relacionado ao projeto sobre o qual eu possa escrever sem fazer uso de dados. Encontrei uma proposta e já a encaminha para ambos os meus orientadores, estou no aguardo de respostas mais detalhadas, mas a princípio a Professora Patrícia Palma disse ser um bom tópico para trabalhar, estamos discutindo agora sobre qual revista submeter. Estou um pouco preocupado sobre ele, mas darei um jeito de encontrar algo interessante para escrever.

       Meu dia a dia em laboratório é algo curioso. Gosto muito das análises que realizo, principalmente as de atividade enzimática, e estar com as outras três bolsistas, Clarisse, Inês e Adriana, é muito prazeroso, porém me sinto muito ocioso na bolsa. Minha carga horária é de 8h por dia (40h semanais), porém estando em 4 pessoas no laboratório terminamos tudo muito rápido, logo acabo passando muito tempo sem ter o que fazer, as garotas sempre tentam arrumar algo em que eu possa ajudar (acho muito legal da parte delas), porém mesmo assim, parece que o tempo não acaba sendo muito bem aproveitado.
       Acredito que o que venho ganhando em Portugal em questão de técnicas não é tão diferente do que vi no Brasil, ganhei muito aprendendo os métodos de forma geral, principalmente os métodos de análises ecotoxicológicas, mas as rotinas continuam sendo muito parecidas. Em relação a ganhos culturais, já não posso dizer o mesmo, a cultura portuguesa é bem diferente da nossa.

       Tenho aproveitado meus fins de semana para conhecer lugares novos, realizei já uma viagem para Évora e duas viagens para Lisboa, onde pude conhecer vários cenários encantadores, conheci mais da cultura portuguesa e tive a chance de aproveitar a culinária e música da região. Beja também tem cenários lindos, mas acho a cidade um pouco calma demais, estava acostumado com Floripa, onde todo mundo está sempre correndo e com pressa, é legal trocar um pouco a perspectiva. 
       Meus últimos dias em Portugal têm sido um pouco complicados. Vários fatores acabaram me deixando meio para baixo. Eu fiquei um pouco desanimado por estar com poucas atividade aqui, também somou-se a preocupação com o artigo, com o qual ainda não sei muito como proceder. O fator saudade começou a pegar um pouco, sinto falta de minha família e amigos, também me sinto muito sozinho aqui, embora esteja na residência estudantil, não me sinto tão próximo a ninguém, então não tenho muito bem com quem contar. As meninas no laboratório têm colocado meu astral mais para cima, principalmente a Clarisse, graças a ela consigo relevar um pouco as dificuldades que tenho passado. 
       Bem, não vou me alongar muito mais. Embora agora eu esteja meio desanimado sigo aqui em meu dia a dia, espero que seja só uma situação passageira e que eu consiga aproveitar melhor o que o PROPICIE pode me proporcionar, mas a princípio ele não era muito bem o que eu esperava, mas é também uma experiência incrível por vários fatores.


Atenciosamente,
Eduardo.

BLOG DOS INTERCAMBISTAS