Publicador de conteúdo Publicador de conteúdo

Discussões sobre o Future-se e posse do Cepe

Discussões sobre o Future-se e posse do Cepe

BLOG DA REITORA Data de Publicação: 09 ago 2019 18:27 Data de Atualização: 09 ago 2019 21:52

Olá!

As discussões sobre o programa Future-se, projeto de lei do governo federal para universidades e institutos federais, mobilizou grande parte dos compromissos ao longo desta semana. Como comentei na semana passada, na nossa última reunião do Colégio de Dirigentes, o Codir, deliberamos por levar a discussão para a comunidade acadêmica, envolvendo servidores e alunos, e essa discussão já está sendo feita de forma muito intensa nos nossos câmpus e nos órgãos deliberativos institucionais.

Na segunda-feira o Future-se foi novamente pauta na reunião do Conselho Superior, o Consup, quando debatemos as dúvidas e preocupações que a proposta do governo federal enseja em um momento crítico de bloqueio orçamentário. Nossa posição é que não podemos discutir o futuro se temos, no presente, risco institucional de comprometer várias atividades essenciais.

Além disso, a proposta não esclarece questões cruciais de autonomia ao estabelecer um contrato com uma organização social que teria prerrogativas legais que hoje são dos nossos conselhos, colegiados e gestores. Somos uma instituição construída de modo coletivo e solidário, pautada na inclusão social e nas possibilidades de mudar a conjuntura de discrepâncias e diferenças que vivemos de modo forte em nosso país. Uma proposta de estabelecer parcerias público-privadas deve preservar e proteger o caráter público e gratuito das nossas atividades.

Todos consideram pontos muito obscuros na proposta que estabelece fundos de investimentos como forma de financiar muitas atividades institucionais. Juntamente com o Codir, o Consup vai acompanhar os debates e desdobramentos dessa proposta. Qualquer manifestação do IFSC será amplamente debatida com nossa comunidade!

A reunião foi transmitida pela IFSCTV e a gravação pode ser acessada aqui. 

Reuniões nos câmpus

Também tratando do Future-se, estive em alguns de nossos câmpus ao longo da semana, conversando e buscando responder questionamentos importantes feitos por nossos alunos e servidores. Para muitos desses questionamentos não temos respostas, pois também são nossos grandes motivos de dúvidas e preocupações. O projeto de lei não esclarece essas lacunas e não dirime nossas dúvidas quanto ao impacto de aderir a uma proposta frágil, incerta e estranha ao nosso fazer institucional no momento de colocar possibilidades de renda de fundos de investimento sobre os quais não teremos gestão, e, além disso, com interesse focado na rentabilidade e lucro. Fizemos essa conversa com o Câmpus Gaspar, na quarta-feira, e em Itajaí e São José, na quinta.

Hoje fizemos uma reunião integrada da Reitoria com o Câmpus Florianópolis-Continente, no Centro de Eventos do câmpus. Abri minha fala retomando um pouco o histórico do contingenciamento de recursos, que nos pegou de surpresa no primeiro semestre, e sobre o qual viemos negociando com o MEC e a Setec desde então, sob o risco de inviabilizar nossas atividades. Nós já vínhamos desde 2015 com uma redução de orçamento, em contraste com um crescimento institucional, mas os contingenciamentos são uma realidade que vêm causando muita preocupação.

Nesse cenário de tratativas para sensibilizar o governo para o problema do contingenciamento fomos pegos de surpresa com o anúncio do Future-se, na metade de julho, quando a maioria das instituições estava em recesso. Na reunião, lemos conjuntamente a nota oficial do Conif a respeito, sobre a qual já falei aqui, que reflete nosso posicionamento institucional: é temerário fazer um plano dessa natureza sem a participação das instituições envolvidas e sem discutir os problemas que as próprias instituições consideram prioritários. Além disso, é fato que muitas das ações que são previstas no projeto nós já desenvolvemos nos institutos federais, com pioneirismo, inovação e excelência. Na conversa com os servidores da Reitoria e do Câmpus Florianópolis-Continente, que teve também a participação de estudantes, ficou claro que ainda há muitos pontos obscuros e que a expectativa é de ampliação do diálogo, resistência e garantia da autonomia institucional.

Na semana que vem teremos mais uma reunião Conif com essa pauta e, na sequência, pretendo continuar a maratona de visitas aos câmpus para falar sobre o projeto do Future-se. O debate deve ser feito em todos os colegiados de câmpus e em todas as instâncias da instituição, e sempre que possível quero estar presente para contribuir com o máximo possível.

Posse do Cepe

Na quinta-feira ocorreu a posse dos novos membros do Cepe, o nosso Colegiado de Ensino, Pesquisa e Extensão. Esse colegiado tem um papel muito importante  no estudo e aprovação das diretrizes que norteiam nossas atividades nas três áreas que devem funcionar de forma indissociável. A composição que se encerrou deixa um legado importante construído com a secretaria e pró-reitorias: melhoraram os processos, limparam a pauta de apreciações e garantiram ao IFSC dar passos importantes em direção à qualificação dos registros docentes, da transparência na apreciação das propostas de cursos. Os resultados desse conjunto de ações é imediato: temos muitos cursos com nota máxima no Inep; somos referência na curricularização da extensão; temos resultados bastante expressivos na EaD; inovamos na certificação de saberes e competências. Parabenizei os novos conselheiros e agradeci por sua disposição por trabalharem nesse órgão tão vital para o funcionamento da nossa instituição.

Outros assuntos:

Formatura - No fim da tarde desta sexta ocorreu a colação de grau de alunos dos cursos superiores de tecnologia em Gastronomia e em Hotelaria do Câmpus Florianópolis-Continente. Oito formandos receberam seus diplomas e foi uma alegria participar desse momento de suas vidas ao lado de seus amigos e familiares. Parabéns aos novos tecnólogos! 

Até semana que vem!

BLOG DA REITORA