Pular para o conteúdo

Notícias

Pesquisa realizada pelo Câmpus Gaspar em supermercados mostra que inflação dos alimentos foi 22% maior do que a inflação oficial em dezembro

CÂMPUS GASPAR Data de Publicação: 06 jan 2023 08:28 Data de Atualização: 06 jan 2023 08:46

Se você costuma ir todos os meses ao mercado, deve ter reparado um aumento significativo no preço dos produtos, muito maior do que a prévia da inflação que foi de 4,90% em dezembro, segundo o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), que é o índice de inflação oficial calculado pelo IBGE. Pesquisa realizada em três mercados de Blumenau identificou que quando se leva  em consideração apenas a variação dos alimentos, a inflação de dezembro foi de 27,3%, uma diferença de mais de 22% com relação ao IPCA do período.

O levantamento foi feito em três supermercados de Blumenau, sendo um atacadista e dois varejistas, e levou em consideração o menor preço encontrado de 37 itens de higiene, limpeza e alimentos levando em consideração a mesma pesagem e características dos produtos. Os dados fazem parte da pesquisa “Análise de variação de preços de cesta básica de Blumenau” que analisa todos os meses a variação dos produtos. O levantamento é coordenado pelo professor Edmundo Pozes e conta com o apoio do servidor Filipe Bernardes e dos estudantes do curso superior de Tecnologia em Processos Gerenciais do Câmpus Gaspar Gabriel Zimmermamm e Dieny Samara.  

O professor Pozes explica que a variação entre o IPCA e a inflação dos alimentos se dá porque no IPCA são levados em consideração também itens como energia elétrica, água, internet, aparelhos eletrônicos, mensalidade escolar e atividades de lazer.  “Muitos itens que são levados em consideração no IPCA puxam a inflação para baixo e não é o que observamos quando olhamos somente os preços dos alimentos. Essa alta na inflação dos alimentos não é um fenômeno que identificamos apenas aqui na região é algo observado em todo o Brasil.”

Ao analisar os dados de 2022, o professor observa que em fevereiro houve um aumento significativo no valor dos produtos e nos meses de maio e setembro redução nos preços. “Os valores dos produtos variam de acordo com a safra e cada item tem suas características. Em maio, houve redução nos preços porque a demanda pelos produtos caiu, o que forçou os empresários a diminuírem os preços. Pela pesquisa não identificamos uma grande variação por conta da guerra na Ucrânia, o que influenciou bastante na redução dos preços dos produtos foi a medida do governo federal em desonerar impostos dos combustíveis e a própria eleição, o que foi notado no levantamento de setembro. Isso mostra que quando o Estado quer intervir nos preços, ele pode e não é somente o mercado quem estabelece os valores. Com essa intervenção do governo nos preços, estima-se que a inflação de 2022 fique em torno de 6% bem diferente dos 10,06% registrados em 2021.”

O professor explica que a medida do atual governo federal em prorrogar a desoneração de impostos nos combustíveis pode manter os preços estáveis, mas que isso dependerá do poder de negociação da atual gestão com o empresariado. “O Brasil é um dos maiores produtores de alimento do mundo e não faz sentido termos escassez de produtos. Eu vejo que 2023 será um ano que exigirá muita negociação política com o setor produtivo. O que nós temos visto no início deste ano é que a bolsa tem operado em queda, mas é bom lembrar que apenas 4 milhões de brasileiros de um universo de 208 milhões investem de fato na bolsa.”

Além do monitoramento mensal dos preços nos produtos, o professor explica que são feitas também entrevistas com representantes dos supermercados para entender como eles compram os produtos e como são estabelecidos os valores dos itens. “Nosso foco com essa pesquisa é pensar na população mais pobre e de prestar um serviço à comunidade. A gente observa que nem sempre as redes atacadistas são mais baratas e que quando há promoções é comum observar que há um aumento de preços de outros itens do mesmo mercado.”

Clique aqui e confira os dados e os gráficos da pesquisa de 2022. 

Os dados da pesquisa serão divulgados a partir do dia 12 de cada mês nos meios de comunicação do Câmpus Gaspar.  


 

CÂMPUS GASPAR PESQUISA

Nó: liferay-ce-prod03

Este site usa cookies para garantir que você obtenha a melhor experiência. Leia Mais.