Pular para o conteúdo

Notícias

Estudante e professor do Câmpus Caçador participam de etapa semifinal de olimpíada de redação

EVENTOS Data de Publicação: 14 nov 2019 19:09 Data de Atualização: 14 nov 2019 19:25
Estudante e professor do Câmpus Caçador participam de etapa semifinal de olimpíada de redação
Luiza é uma das 65 semifinalistas do concurso e escreveu sobre a vinda de haitianos para trabalhar em Caçador

A estudante Luiza Bortoluzzi Casali, 18 anos, do curso técnico integrado em Administração do Câmpus Caçador, e o professor de português do câmpus Ricardo de Campos participam de domingo a terça-feira, 17 a 19 de novembro, da etapa semifinal da Olimpíada de Língua Portuguesa Escrevendo o Futuro, que ocorre em São Paulo. Luisa é uma das 65 semifinalistas na categoria Artigo de Opinião, com o texto “A busca do sonho brasileiro divide opiniões”, no qual ela se posiciona sobre a vinda de haitianos para trabalhar em Caçador, onde ela nasceu e vive até hoje.

A Olimpíada de Língua Portuguesa Escrevendo o Futuro é um concurso de produção de textos entre alunos do 5º ao 9º ano do ensino fundamental e do 1º ao 3º ano do ensino médio que, em 2019, chega a sua sexta edição. A iniciativa é resultado de uma parceria entre o Ministério da Educação (MEC) e a fundação Itaú Social, ligada ao banco Itaú. Quem se inscreve na competição, na verdade, são os professores que dão aulas para essas turmas. Para participar do concurso, o professor deve realizar oficinas de leitura e escrita em sala de aula com todos os alunos das turmas participantes.

Dessas oficinas saem os textos que são inscritos em uma das cinco categorias da Olimpíada: Artigo de Opinião; Crônica; Documentário; Memórias Literárias; e Poesia. No caso de Luiza, o professor responsável pela inscrição foi Ricardo, que vai participar com ela da oficina semifinal em São Paulo. Para chegar lá, eles passaram por uma etapa estadual. No total, 20 artigos de opinião serão selecionados para a etapa nacional (final) em 28 de novembro.

Ideia

A ideia de abordar a imigração como tema do artigo tem origem em uma experiência que Luiza teve em um projeto de extensão do Câmpus Caçador voltado à alfabetização de imigrantes e refugiados. "Comecei a frequentar as oficinas de português, convivendo com haitianos e também alguns venezuelanos. Foi uma experiência transformadora que abriu meus olhos para a questão dos imigrantes”, conta.

Luisa foi convidada pelo professor de português David Severo para participar do projeto porque havia feito um intercâmbio na França. “Como eu mesma vivi a dificuldade de adaptação a um país diferente, consigo entender, em partes, a situação na qual eles se encontram. Sei que abandonar seu país para buscar melhores condições de vida é, sem dúvida, muito mais duro”, comenta.

Por dominar o francês (uma das línguas oficiais do Haiti), nas aulas ela fazia a tradução das explicações do professor para alunos haitianos que tinham dificuldade em compreendê-las. Com isso, teve a chance de conversar com eles sobre suas vidas antes e depois de vir ao Brasil. “As histórias que ouvi me tocaram”, relata.

Redação e leitura

As primeiras experiências de Luisa com redação foram nas aulas do ensino fundamental. “Só comecei a escrever fora do contexto escolar no Ensino Médio. Para mim, escrever é uma forma de organizar e entender meus pensamentos e sentimentos”, afirma. Ela hoje tenta melhorar a sua prática de redação em francês e em inglês e acredita que isso a ajuda a escrever melhor em português.

Luisa gostava de ler séries de livros, como Divergente, Harry Potter, Jogos Vorazes e Os Instrumentos Mortais. Hoje tem mais interesse por literatura em francês e em inglês, além de livros sobre filosofia. Por causa do Enem e de vestibulares, em 2019 focou suas leituras nas obras recomendadas para essas provas e acabou encantando-se por literatura lusófona, especialmente por obras do brasileiro Machado de Assis e do português José Saramago.

A preparação para a semifinal da Olimpíada Luisa fez paralelamente aos estudos para o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) e para vestibular e, por isso, o que tem feito para preprara-se para a etapa da Olimpíada é ler mais sobre o tema do seu artigo.

EVENTOS