Pular para o conteúdo

Notícias

Curso de Conversação em Libras recebe professor do INES

ENSINO Data de Publicação: 02 dez 2020 17:46 Data de Atualização: 02 dez 2020 17:50

No último dia 19, os alunos do curso de Conversação em Libras do Câmpus Lages do IFSC tiveram um papo especial em alusão ao Dia da Consciência Negra. O convidado foi o professor e poeta Weslei Rocha, que trabalha no Instituto Nacional de Educação de Surdos (INES), no Rio de Janeiro, órgão que é o mais antigo e maior instituto de educação de surdos do Brasil.

A proposta do curso, que é um projeto de extensão, é que as reuniões semanais sejam temáticas para a prática da conversação em Libras, sempre às quintas-feiras. Com a aproximação com o dia 20 de novembro, Dia da Consciência Negra, a ideia era convidar para conversar alguma pessoa negra surda, para conhecer o tema pela perspectiva de quem tenha lugar de fala e vivência. "Encontramos um problema que só reforçou a necessidade do debate: nós, do curso, não conhecemos, na nossa região, nenhuma pessoa negra surda que tenha tido acesso à Libras", conta a professora Paula Clarissa Santos Graziottin de Jesus, coordenadora do projeto.

Wesley falou sobre o tema da consciência negra, as diferenças do acesso à Libras nas capitais e no interior, as estratégias que ele usa para discutir preconceito com os alunos dele e a experiência de ser professor de alunos com surdo-cegueira. Além disso, o professor debateu a variação linguística e regionalismos da Libras. Wesley é líder regional do movimento Negro Surdo e membro da equipe nacional do mesmo movimento.

Para a aluna Bianca Rodrigues Camargo a forma com que o professor ilustrou como é possível ensinar às crianças em sala de aula sobre o preconceito foi muito didática. "Ele sugere que se faça maquetes da sala de aula com os 'amigos' representados por bonecos. E com isso questionando: 'posso pisar neste aqui? Ele é negro, ele é diferente'. As crianças sempre reagem dizendo que não, que todos são amigos. É um exemplo simples, mas ele falou de uma maneira tão linda e tão emocionante que marcou bastante essa parte para mim", completa.

As aulas são conduzidas pela intérprete de Libras Greice Franklin da Silveira Lima com o auxílio da bolsista Daliane Machado Zancheta. Além da professora Paula Clarissa, as servidoras Janaína Muniz e Elisa Freitas Schemes fazem parte da equipe que executa o projeto.
 

ENSINO CÂMPUS LAGES