Pular para o conteúdo

Notícias

Livro traz informações sobre peixes mais comuns de Florianópolis

CÂMPUS FLORIANÓPOLIS-CONTINENTE Data de Publicação: 24 abr 2017 21:00 Data de Atualização: 06 fev 2018 15:28


Ocorre nesta quinta, 27, a partir das 8h, no Mercado Público de Florianópolis, o lançamento do livro Que peixe é este? – O sabor da pesca artesanal na Ilha de Santa Catarina, produzido por professores e estudantes do Câmpus Florianópolis-Continente do Instituto Federal de Santa Catarina (IFSC). Em 336 páginas, a obra traz informações biológicas, nutricionais e gastronômicas sobre mais de 30 espécies comumente pescadas na Capital, com objetivo de valorizar peixes muito apreciados pelos pescadores, mas de pouco valor comercial. Estão presentes as populares tainha, sardinha e enchova, mas também outras menos conhecidas da população em geral, como gordinho, guaivira e xerelete.


A origem do livro foi um projeto de extensão realizado na Reserva Extrativista Marinha do Pirajubaé, na região central de Florianópolis, por meio do qual os professores e estudantes do IFSC perceberam que muitas das espécies mais capturadas pelos pescadores locais tinham pouco valor comercial, como explica a organizadora da obra, a professora Liz Cristina Camargo Ribas.

Essa impressão é confirmada pela pesquisa de mestrado da professora Michelle Kormann da Silva, também do Câmpus Florianópolis-Continente, sobre a frequência da presença de pescados em cardápios de restaurantes do litoral catarinense. A corvina, por exemplo, um dos peixes mais capturados tanto por pescadores artesanais como industriais, estava presente em apenas 18% dos cardápios, enquanto o salmão, uma espécie importada, aparecia em 86% deles.

“Este reduzido valor de mercado repercute na vida dos pescadores artesanais, que se veem obrigados a aumentar seu esforço de pesca e a viver com um orçamento relativamente baixo. Presume-se que a valorização desses peixes pode não apenas diversificar a gastronomia local – tornando-a mais identitária -, como melhorar a qualidade de vida do pescador, contribuindo na perpetuação da atividade pesqueira artesanal”, comentam os autores em Que peixe é este?.

Para valorizar as espécies, além das informações biológicas, nutricionais e gastronômicas sobre elas, a obra traz indicações de receitas, tanto tradicionais quanto contemporâneas. Há sugestões como nhoque recheado com abrótea escalada, filé de bagre à belle meuniére e paupiette de peixe-espada, entre outras. Outro objetivo do livro é fornecer informações sobre boas práticas em manipulação de peixes (higiene e conservação), aspectos nutricionais, identificação de procedência, sazonalidade e proteção das espécies (defeso, tamanho mínimo e estado de conservação), tanto para a população como para estabelecimentos comerciais.

Para obter informações sobre as espécies, os pesquisadores recorreram, além da bibliografia sobre o tema, a entrevistas com pescadores e moradores dos bairros e comunidades Armação do Pântano do Sul, Barra da Lagoa, Campeche, Costeira do Pirajubaé, Ingleses, Pântano do Sul, Ponta do Coral (no bairro Agronômica), Ponta do Leal (no bairro Balneário), Praia do Riso (no bairro Coqueiros) e Sambaqui.

O evento de lançamento de Que peixe é este? vai ocorrer durante todo o dia na quinta (27), das 8h às 18h, na ala de pescados do Mercado Público, onde ficam as peixarias. O livro, publicado com o selo Publicações do IFSC, está disponível gratuitamente em versão online. São autores, além da professora Liz Ribas (bióloga), os também professores Elinete Eliete de Lima (nutricionista) e Vilson de França Goes (gastrônomo), os estudantes bolsistas Eliane Izabel da Silva, Franciele Oliveira Dias e Saulo Santana Santos e a colaboradora externa Amanda Andrade Lentez.

Mais informações na página do lançamento do livro no Facebook.

Por Coordenadoria de Jornalismo IFSC

 

CÂMPUS FLORIANÓPOLIS-CONTINENTE