Pular para o conteúdo

Notícias

Sucesso da SNCT on-line faz Câmpus Florianópolis planejar versão híbrida para 2021

CÂMPUS FLORIANÓPOLIS Data de Publicação: 22 nov 2020 22:58 Data de Atualização: 22 nov 2020 23:10

Foram 98 comunicações científicas, 15 palestras, 18 oficinas, sete mesas-redondas e seis minicursos na Semana Nacional de Ciência e Tecnologia (SNCT) 2020 do Câmpus Florianópolis, realizada de forma on-line no começo de novembro, durante quatro dias de intensa programação. “Apesar do ineditismo, consideramos que o evento foi um grande sucesso, muito além do esperado”, afirma o diretor-geral do câmpus, Zízimo Moreira Filho.

O desenho da SNCT 2020 começou com a suspensão das atividades presenciais por conta da pandemia de Covid-19 – o que impede também a realização de eventos de grande circulação, como era o caso da semana no câmpus(estima-se um público médio de 3 mil pessoas em anos anteriores, quando o evento era 100% presencial).“Qualquer iniciativa em 2020 está sendo desafiadora, a organização da SNCT no Câmpus não foi diferente. As edições anteriores sempre se destacaram pela exposição prática da ciência e tecnologia desenvolvida por nós, com diversas trilhas paralelas ocorrendo ao mesmo tempo e em todos os espaços do Câmpus. Para 2020, mesmo com o distanciamento social, não queríamos perder essa essência da SNCT”, explica Rogério de Souza Versage, diretor de Pós-graduação, Pesquisa e Extensão do Câmpus Florianópolis.

Para superar o desafio, Versage destaca que foi preciso um alto nível de organização. E, se os estudantes sempre são os destaques nas atividades, dessa vez eles foram ainda mais essenciais em todas as etapas. “Partimos de um projeto detalhado e da formação de um Grupo de Trabalho com papéis bem específicos. Nosso grupo de trabalho foi dividido em equipes com diferentes finalidades: curadoria; interlocução interna e externa; comunicação e marketing; e técnica e logística. Lançamos um edital para seleção de 12 bolsistas para atuarem na organização com habilidades específicas de programação web, web design, edição e produção de vídeos e apoio técnico. Estudantes foram a chave do sucesso para organização e execução da SNCT na produção do site, vídeos, redes sociais e organização de conteúdo.” destaca Versage.

“Foi uma experiência completamente nova participar da organização de um evento desse porte. Eu já tinha participado ministrando oficinas na edição de 2018, mas ver todo o preparo por trás da organização e principalmente ajudar na adaptação de um evento que era presencial foi um desafio grande, até para não correr o risco de perder participantes e qualidade, mas com a parceria entre os bolsistas e os professores foi mais fácil”, lembra Luisa Yumi Antunes Kaneko, aluna da sétima fase do curso técnico integrado em Química, que foi bolsista de apoio à organização.

Carolina Martins Pedro, da sexta fase do curso técnico integrado em Saneamento, atuou na área de desenvolvimento web e também como fotógrafa. Para ela, o principal desafio foi encontrar a forma ideal de como levar todo o conhecimento disponibilizado pelo câmpus de forma on-line. “Pensamos em um site que fosse simples e objetivo, para as pessoas conseguirem se achar e ver de quais atividades elas gostariam de participar, e também as redes sociais, tão presentes hoje. E a maior dificuldade foi trabalhar de casa, pois sou uma pessoa que gosta de estar na correria, na muvuca e se adaptar a esse novo ambiente foi uma das partes mais difíceis”.

“As principais forças e oportunidades do projeto estavam na riqueza de conteúdo produzido no Câmpus, com centenas de projetos de pesquisa e extensão para oferecer e atrair a comunidade interna e externa. Como fraquezas do evento, consideramos a sobrecarga de trabalho já imposta aos servidores durante a pandemia e a ausência da infraestrutura do câmpus para as atividades. Assim, toda organização foi pensada para utilizar o domínio das tecnologias e habilidades desenvolvidas pela comunidade acadêmica durante todo o ano. Tudo aconteceu no Google Meet, Google Agenda e Youtube”, explica Versage.

Yumi considera que a participação na organização traz aprendizados para além da semana em si. “Além de trazer experiências e aprendizados que eu não teria na sala de aula ou em um ensino médio convencional, também me ajudou bastante na questão de lidar com pessoas e correr atrás de algumas coisas que eu não sabia mas facilitariam e otimizariam meu trabalho, porque, como estudantes, às vezes nos acomodamos e não buscamos nos aprofundar nos assuntos de forma autônoma, mas isso faz todo um diferencial para a aprendizagem”.

Já Nayare Claro Moreira, da sétima fase do curso técnico integrado em Eletrotécnica, avalia, como público, que a SNCT cumpriu seu papel pedagógico e social. “A SNCT 2020 foi surpreendentemente maravilhosa. Mesmo frente ao trágico contexto pandêmico que assistimos e fazemos partes nos atuais dias, o Câmpus Florianópolis reergueu-se de forma tal a preocupar-se em levar o evento à quem está em casa, de forma on-line e gratuita, que comprova o real conceito de empatia e solidariedade ao próximo. A decisão de não restringir o evento à comunidade interna ou até mesmo de não realizá-lo me faz acreditar em um Brasil melhor que preocupa-se, portanto, em levar conhecimentos científicos de diversas áreas à população, sem pô-la em risco e com uma qualidade de ensino indescritivelmente ótima. As atividades foram lecionadas por professores e profissionais dotados de uma intensa competência e carga acadêmica, o que fez com que a nossa SNCT se diferenciasse pela qualidade do ensino oferecido. A versão on-line foi um exemplo de trabalho em equipe, amor ao próximo e conhecimento de qualidade”.

O diretor-geral Zízimo corrobora a visão de Nayare. “A SNCT tornou visível para a sociedade toda a nossa produção, pesquisa, ensino e extensão. E o mais bacana é que, como está tudo disponível no Youtube, é como se a semana continuasse ativa e mais pessoas podem ter acesso a esse conhecimento que produzimos”, diz, referindo-se às mais de 6,4 mil visualizações acumuladas em todos os vídeos publicados no canal da semana.

Para ele, o sucesso da versão on-line mostra que há demanda para que a próxima SNCT seja um modelo híbrido, para que os trabalhos apresentados sigam disponíveis após o fim do evento.

Versage também concorda. “A experiência de uma SNCT virtual deixa muitas lições aprendidas que serão aproveitadas nas próximas edições com atividades on-lines e presenciais. A SNCT também estará adaptada ao novo normal.”

CÂMPUS FLORIANÓPOLIS