Pular para o conteúdo

Notícias

Saúde na escola: projeto de Enfermagem divulga práticas integrativas e complementares como estratégia para autocuidado

ENSINO Data de Publicação: 02 dez 2020 14:26 Data de Atualização: 03 dez 2020 16:57

Os alunos brasileiros estão entre os mais estressados no mundo (56%) e com os maiores níveis de ansiedade durante as provas (80%). Os dados são do relatório do Programa de Avaliação Internacional de Estudantes (Pisa, na sigla em inglês). Como alternativa de prevenção e tratamento, um grupo de estudantes do curso técnico em Enfermagem do Câmpus Joinville propõe a utilização de práticas integrativas e complementares (PICS) no ambiente escolar.

Durante dois anos, as estudantes Heloa Lucinda, Janaína da Silva da Rosa e Sthefany Helena Vieira Silva pesquisaram as PICS para o seu projeto integrador (PI), apresentado no final do semestre letivo passado, por videconferência, como requisito para a conclusão do técnico em Enfermagem. O projeto “As práticas integrativas e complementares de cuidado na promoção da saúde na escola” foi orientado pela professora Luciana Maria Mazon.

A nomenclatura “práticas integrativas e complementares” é usada pelo Ministério da Saúde para classificar as diversas práticas não convencionais de cuidados à saúde, como meditação, yoga, florais, reiki e acupuntura. Atualmente, o Sistema Único de Saúde (SUS) oferece, de forma integral e gratuita, 29 procedimentos de PICS à população.

“Diante do crescimento de estresse e ansiedade dentro da escola, é necessário buscar formas de tratamento e enfrentamento. Estas práticas integrativas são relatadas como estratégias atuais para redução do estresse e ansiedade e de melhora da cognição e memória”, justificam as estudantes. “São abordagens mais naturais e holísticas que estimulam o mecanismo natural de prevenção de agravo e recuperação da saúde e contribuem para a inserção social, redução de consumo de medicamentos e melhoria da qualidade de vida”, complementam.

Para cumprir o objetivo geral do projeto, de divulgar as PICS como estratégia de autocuidado e promoção da saúde na escola, o grupo elegeu sete práticas para trabalhar com alunos e professores: florais de Bach, aromaterapia, fitoterapia, apiterapia, auriculoterapia, reflexologia e biodança.

A apresentação foi realizada ainda no ano passado em um estande na Semana Nacional de Ciência e Tecnologia (SNCT 2019) do Câmpus Joinville. Ao final, uma oficina de biodança completou a experiência. “O espaço foi visitado por grande número de pessoas que viam as práticas como novidade e com grande curiosidade. Muitos desconheciam estas práticas”, contam as estudantes, que apresentaram os resultados durante a finalização do PI, na apresentação para a banca no final do último semestre letivo.

Conheça as PICS

Conforme o Ministério da Saúde, as PICS são tratamentos que utilizam recursos terapêuticos baseados em conhecimentos tradicionais, voltados para prevenir diversas doenças como depressão e hipertensão. Em alguns casos, também podem ser usadas como tratamentos paliativos em algumas doenças crônicas.

Atualmente, as PICS regulamentadas e com possibilidade de oferta pelo SUS são: apiterapia, aromaterapia, arteterapia, ayurveda, biodança, bioenergética, constelação familiar, cromoterapia, dança circular, geoterapia, hipnoterapia, homeopatia, imposição de mãos, medicina antroposófica/antroposofia aplicada à saúde, medicina tradicional chinesa – acupuntura, meditação, musicoterapia, naturopatia, osteopatia, ozonioterapia, plantas medicinais – fitoterapia, quiropraxia, reflexoterapia, reiki, shantala, terapia comunitária integrativa, terapia de florais, termalismo social/crenoterapia e yoga.

É importante lembrar que estas práticas não substituem o tratamento tradicional. Elas são um adicional, um complemento no tratamento e indicadas por profissionais específicos conforme as necessidades de cada caso.

Práticas divulgadas pelo PI

Seguem as definições das PICS trabalhadas pelo projeto integrador de Enfermagem:

Apiterapia: Prática terapêutica que consiste em usar produtos derivados de abelhas – como apitoxinas, mel, pólen, geleia real, própolis – para promoção da saúde e fins terapêuticos.

Aromaterapia: Prática terapêutica secular que utiliza as propriedades dos óleos essenciais, concentrados voláteis extraídos de vegetais, para recuperar o equilíbrio e a harmonia do organismo visando à promoção da saúde física e mental, ao bem-estar e à higiene.

Auriculoterapia: Técnica terapêutica que promove a regulação psíquico-orgânica do indivíduo por meio de estímulos nos pontos energéticos localizados na orelha – onde todo o organismo encontra-se representado como um microssistema – por meio de agulhas, esferas de aço, ouro, prata, plástico, ou sementes de mostarda, previamente preparadas para esse fim. Faz parte do grupo Medicina Tradicional Chinesa – acupuntura.

Biodança: Prática expressiva corporal que promove vivências integradoras por meio da música, do canto, da dança e de atividades em grupo, visando restabelecer o equilíbrio afetivo e a renovação orgânica, necessários ao desenvolvimento humano. Utiliza exercícios e músicas organizados que trabalha a coordenação e o equilíbrio físico e emocional por meio dos movimentos da dança, a fim de induzir experiências de integração, aumentar a resistência ao estresse, promover a renovação orgânica e melhorar a comunicação e o relacionamento interpessoal.

Fitoterapia: Tratamento terapêutico caracterizado pelo uso de plantas medicinais em suas diferentes formas farmacêuticas, sem a utilização de substâncias ativas isoladas, ainda que de origem vegetal.

Reflexoterapia: Prática terapêutica que utiliza estímulos em áreas reflexas – os microssistemas e pontos reflexos do corpo existentes nos pés, mãos e orelhas – para auxiliar na eliminação de toxinas, na sedação da dor e no relaxamento. Parte do princípio que o corpo se encontra atravessado por meridianos que o dividem em diferentes regiões, as quais têm o seu reflexo, principalmente nos pés ou nas mãos, e permitem, quando massageados, a reativação da homeostase e do equilíbrio nas regiões com algum tipo de bloqueio.

Terapia de florais: Prática terapêutica que utiliza essências derivadas de flores para atuar nos estados mentais e emocionais. A terapia de florais de Bach, criada pelo inglês Dr. Edward Bach (1886-1936), é o sistema precursor desta prática.

 

ENSINO CÂMPUS JOINVILLE PESQUISA