Pular para o conteúdo

Notícias

Pesquisa do Câmpus Lages busca soluções para tratamento de resíduos líquidos

PESQUISA Data de Publicação: 24 fev 2022 09:00 Data de Atualização: 11 mar 2022 15:14

Uma pesquisa realizada no Câmpus Lages do IFSC, e apresentada na Mostra de Trabalhos Científicos do IFSC em dezembro, propõe soluções para o tratamento de efluentes industriais e esgotos domésticos. O trabalho "Métodos de imobilização de TiO2 em materiais suporte para uso em processos fotocatalíticos de tratamento de água" faz parte do projeto "Produção de materiais avançados com propriedades fotocatalíticas e antimicrobianas pela imobilização de TiO2 em microesferas de policaprolactona" que foi aprovado no edital universal 02/2020/PROPPI e recebeu auxílio financeiro do próprio Câmpus Lages.

O projeto é coordenado pela professora Jaqueline Suave, da Área de Processos Químicos do câmpus. "O objetivo principal deste projeto foi produzir um material fotocatalítico que pudesse ser aplicado no tratamento de efluentes, que fosse de fácil recuperação e que permitisse a sua reutilização. Nesse processo imobilizamos o fotocatalisador dióxido de titânio (TiO2), que é um pó, em filmes de policaprolactona (PCL), um polímero biodegradável", explica.

A professora explica que a ideia inicial do projeto não era trabalhar com filmes, mas sim com microesferas de PCL. Porém, devido à pandemia e a suspensão das atividades presenciais, quando a volta ao laboratório foi possível optou-se por trabalhar com filmes, por ser um processo mais fácil e por ter pouco tempo para concluir o projeto.

Mesmo assim, Jaqueline acredita no potencial do projeto e no seu poder de aplicabilidade no dia a dia. "Esse projeto contribui para o desenvolvimento da técnica de fotocatálise heterogênea que pode ser utilizada para tratar efluentes industriais e esgotos domésticos, destruindo os poluentes que aí se encontram. A imobilização do fotocatalisador (TiO2) sobre um material suporte, como a policaprolactona no caso, facilita a aplicação comercial desta tecnologia, uma vez que torna a remoção do fotocatalisador no fim do processo muito mais simples do que quando ele é usado na forma de pó. Assim, visamos contribuir com a conservação da qualidade da água que é um recurso natural de extrema importância para a manutenção da vida e da economia", completa.

O projeto contou com um bolsista durante sua execução. Para ele "foi ótimo ter participado deste projeto porque, sem dúvidas, mudou toda a minha interação com o curso, ainda mais sendo um tema de pesquisa que me interessa. E essa ligação entre ensino e iniciação científica está inteiramente ligada à permanência no curso, porque começa a te introduzir no mundo que não é somente as aulas e começamos a desenvolver o pensamento crítico sobre os temas abordados nos projetos, que reflete no aluno como um futuro profissional na área de atuação", conta Gabriel Wolf, aluno da sexta fase do curso superior de tecnologia em Processos Químicos.

 
CÂMPUS LAGES PESQUISA

Nó: liferay-ce-prod03

Este site usa cookies para garantir que você obtenha a melhor experiência. Leia Mais.