Pular para o conteúdo

Notícias

Parceria entre IFSC e entidades oferece cursos de programação em Tubarão

EXTENSÃO Data de Publicação: 19 abr 2022 16:30 Data de Atualização: 20 abr 2022 13:39

O Câmpus Tubarão do Instituto Federal de Santa Catarina (IFSC) está participando de mais uma edição do projeto Programando o Futuro, que oferece cursos de capacitação na área de programação e empreendedorismo para jovens da cidade. O projeto é uma parceria entre IFSC, Núcleo de Empresas de Tecnologia da Região da Amurel (AmurelTec), Associação Empresarial de Tubarão (Acit) e prefeitura municipal.

A primeira edição do projeto aconteceu em 2019, com a formação de 40 jovens que prestavam serviço militar à época. Neste ano, a ação voltou com mais 40 vagas para a população em geral, que já foram preenchidas. As aulas começaram no dia 30 de março e acontecem às quartas e sextas, das 18h30 às 22h30.

São quatro meses de curso. Até o dia 21 de julho, os alunos irão aprender sobre programação aliada ao empreendedorismo. 

“Esse curso é composto por duas etapas: uma é de introdução à programação, que os alunos fazem no IFSC. E tem mais um período de 40 horas, que é feita uma interação diretamente com os empresários da área, que fazem a exploração mais voltada para a gestão”, explica o professor do IFSC, Roberval Silva Bett, coordenador projeto e também do curso superior de tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas do Câmpus Tubarão. “A introdução à programação deste curso serve para inserir o aluno na área e ver se realmente ele tem essa aptidão de trabalhar na profissão”, complementa.

Uma das professoras do curso, Simone Souza, explica que o Programando o Futuro busca despertar o interesse nos jovens para uma área que muitos ainda não conhecem como realmente é. “As aulas acontecem no Câmpus, no Laboratório de Informática. O objetivo geral é proporcionar uma formação inicial para a área de Tecnologia da Informação”. Simone também afirma que os ensinamentos podem ajudar a desmistificar a profissão. “O pessoal tem muito receio de não conhecer e não se dar bem”, relata. 

O presidente da Acit, Gean Carlo de Bom da Silva, crê que a meta está sendo atingida. “Acreditamos que o objetivo esteja sendo alcançado. Essa parceria faz com que a gente consiga colocar mais profissionais no mercado, já que a demanda que esse segmento necessita é muito grande”, afirma.

Curso para militares no próximo semestre

Com a retomada das atividades presenciais após a pandemia, a parceria para militares se formarem na área voltará com a abertura de uma nova turma no segundo semestre de 2022. O objetivo é formar duas turmas por ano: uma voltada à comunidade e uma para militares.

Para o tenente e chefe da Seção de Comunicação Social da 3° Companhia de Infantaria Motorizada, Maurílio Bonsfield, a oportunidade é recompensadora para todos os envolvidos. “É uma via de mão tripla. Os militares ganham no aprimoramento. Ganham as empresas de tecnologia que carecem de mão de obra e ganha a sociedade que recebe vários desses militares que deixam o serviço e se tornam mão de obra mais especializada”, avalia. “Essa é a grande vantagem: após a saída deles pelo término do serviço inicial, eles terão mais oportunidades para ingressar no mercado”.

Segundo Roberval, todo o trabalho das instituições envolvidas resultou em frutos. “Na primeira turma, muitos alunos empregaram aquilo que aprenderam no quartel e, até mesmo, outros acabaram migrando, pedindo licença da corporação e entraram nas empresas de computação”, conta.

Formada em Administração, mas com um sonho antigo de estudar tecnologia, Sinara Santinoni, 23 anos, é uma das alunas do curso. Ela, que já tinha o interesse em fazer um curso na área, decidiu retomar o velho sonho. “Minha primeira opção foi Análise de Sistemas. Resolvi voltar, até porque a área da tecnologia está bem em alta”, diz.

Para o coordenador da AmurelTec, Eder Cachoeira, participar do Programando o Futuro pode ser uma porta de entrada para os jovens que desejam seguir na área da Tecnologia da Informação. “Dependendo do desempenho do aluno durante o curso, ele pode sim conseguir um estágio em uma empresa de tecnologia. Dentro da empresa ele vai se aperfeiçoar”, afirma.

EXTENSÃO CÂMPUS TUBARÃO

Nó: liferay-ce-prod03

Este site usa cookies para garantir que você obtenha a melhor experiência. Leia Mais.