Pular para o conteúdo

Notícias

Cursos superiores são avaliados pelo Mec e estão entre os melhores do país

GOVERNO FEDERAL Data de Publicação: 16 dez 2019 15:31 Data de Atualização: 06 fev 2020 10:19

No último relatório divulgado pelo Inep, na última quinta-feira (12), quatro cursos superiores aparecem entre os melhores do país. O curso de Tecnologia em Gastronomia do Câmpus Florianópolis-Continente recebeu o conceito máximo (5) e aparece como o 2º melhor do Brasil. Outras duas graduações do Câmpus Gaspar são destaque na avaliação: Tecnologia em Design de Moda ficou entre os seis melhores, em um universo de 68 cursos, e, dentre 262 cursos de Processos Gerenciais, o de Gaspar ficou em 45° lugar. O curso Design de Moda do Câmpus Araranguá também está classificado como o 8º melhor do país (dentre os 68 ministrados no Brasil).

O ranking leva em consideração o Conceito Preliminar de Curso (CPC), que é um indicador de qualidade que avalia os cursos superiores de graduação levando em consideração o desempenho dos alunos no Enade, corpo docente, infraestrutura e recursos didático-pedagógicos. “Tanto o curso de Tecnologia em Design de Moda e o de Tecnologia em Processos Gerenciais têm um processo muito robusto de curricularização da extensão. Isso quer dizer que esses cursos estão dialogando com os arranjos produtivos locais e, ao fazer isso, os alunos acabam pensando ensino e aprendizagem de uma outra forma. Eles se tornam ativos nesse processo no momento em que eles precisam desenvolver soluções para problemas que são postos pela sociedade. Outro diferencial é a formação de nossos professores, muitos têm a experiência do mercado de trabalho e estão em constante capacitação”, avalia a diretora-geral do Câmpus Gaspar, Ana Paula Kuczmynda da Silveira.

Para a coordenadora de Tecnologia em Gastronomia, Soraya Kobarg Oliveira, o currículo respeita o princípio básico da educação, pesquisa e extensão que norteia a educação profissional. “Pensamos numa gastronomia ética, humanista e sustentável. Nosso curso apresenta um currículo integrado e interdisciplinar, com conteúdos teóricos e práticos onde os discentes aprendem e compreendem tanto a parte da gestão, por meio de tecnologias e com incentivo ao empreendedorismo, quanto a questão operacional dos setores que tangem à formação do profissional formado em gastronomia”, destaca ela.

Soraya ressalta oportunidades ofertadas aos alunos durante a graduação. “Nosso corpo de docentes está sempre incentivando os alunos a participarem de projetos de pesquisa aplicada e de extensão pretendendo levar à comunidade a informação e importância de se respeitar o alimento e de se respeitar as técnicas que transformam esses alimentos e que contribuem para a melhoria da qualidade de vida de comensais e de grupos específicos. Além disso, incentivamos e buscamos alternativas viáveis para oferecer aos alunos mobilidade internacional, estágios e experiências profissionais para valorizá-los e integrá-los ao campo profissional conforme a demanda de atual de mercado”, diz a professora.

A coordenadora atribui o resultado ao comprometimento e profissionalismo de toda uma equipe, sendo docentes, apoio técnico e de pessoal de gestão, mas temos nesse contexto algo de mais brilhante e importante que são nossos alunos, estes quem chegam por meio do Sisu de vários lugares do Brasil e que discutem conosco sobre matriz curricular, sobre processos, inovação, ética e respeito.

Reconhecimento

O curso de Tecnologia em Design de Moda já havia conquistado a nota 5 no Enade, que é a maior pontuação do exame. “Esse é um grande reconhecimento do trabalho que vem sendo desenvolvido, toda a carga horária do curso quanto a infraestrutura foram pensadas para atender às exigências do Catálogo Nacional dos Cursos de Tecnologia. Temos uma equipe de professores, todos com mestrado ou doutorado, que estão antenados com o que o mercado exige e está trabalhando. A curricularização da extensão também tem feito com que os alunos trabalhem a partir de situações que trazem o dia a dia do profissional para a sala de aula. Inclusive a prova do Enade é pensada a partir dessas questões do dia a dia”, avalia a coordenadora do curso de Tecnologia em Processos Gerenciais, Geannine Martins.

A egressa da primeira turma de Tecnologia em Design de Moda Adriana Costa conta que, assim que se formou, pode escolher onde trabalhar. “Hoje eu atuo como modelista, estilista e coordenadora de desenvolvimento. Fiz tanto o técnico em Modelagem do Vestuário e o Design de Moda no Câmpus Gaspar e quando eu me formei eu pude escolher onde queria trabalhar. O IFSC me ajudou a ter emprego e salários melhores e inclusive a ter um ambiente de trabalho melhor. Para mim um dos diferenciais é a relação professor e aluno que vai muito além da sala de aula.”

O formando em Design de Moda Eduardo de Sá já atua em uma empresa têxtil da região e conta que todos os estudantes de Moda que trabalham na mesma corporação são do IFSC, o que já demonstra um reconhecimento da instituição pelo mercado. “Eu fico muito feliz em saber que o curso está entre os melhores do país. Antes de estudar no IFSC, eu havia começado o curso em outra instituição e a diferença foi muito grande. No primeiro semestre no IFSC, os alunos já começam a fazer pesquisas de moda e a entender o que um designer faz. Uma das coisas que eu mais gostei do curso é que todas as matérias estão muito interligadas umas com as outras. Você acaba sempre aproveitando o conteúdo de uma disciplina na outra, não são matérias isoladas. Isso acaba deixando mais claro para o aluno como funciona a criação de design do produto.”

Tecnologia em Processos Gerenciais

Na edição de 2018 do Enade, o curso de Tecnologia em Processos Gerenciais do Câmpus Gaspar alcançou a nota 4. “O curso tem uma série de diferenciais. O primeiro deles é o corpo docente, todos mestres e doutores, com experiência não só na área docente, mas muitos deles com experiência empresarial, isso conta muito na área de processos gerenciais, ou seja, são professores que já trabalharam em indústrias e em empresas privadas. A curricularização da extensão também é outro ponto forte. Nós temos mais de nove disciplinas que trabalham com projetos de extensão em todos os semestres. Isso permite que os alunos trabalhem teoria e prática. Temos ainda uma infraestrutura composta por sete laboratórios de informática e laboratório de gestão em negócios. Destaco ainda a forte atuação do núcleo pedagógico do Câmpus e a infraestrutura da biblioteca. O PPC do curso é totalmente alinhado ao que o Enade costuma avaliar, nós temos uma disciplina que se chama “Gestão social e economia solidária” e nós somos um dos poucos cursos que a ofertam.”

O formando em Tecnologia Processos Gerenciais Elton Cordeiro avalia que entre os diferenciais do curso estão a formação dos professores e os materiais didáticos. “Os professores são altamente capacitados e os materiais utilizados estão sempre muito atualizados. Muito do que aprendi eu consegui aplicar na empresa onde trabalho. Eu arquivei todo o material que eu tenho do curso e sei que quando eu precisar eu terei bastante material para consulta.”

A formanda Deyse dos Santos considera que o PPC do curso é outro ponto forte. “Eu vejo que a forma como o curso foi estruturado permite que uma matéria complemente a outra, por exemplo, quando tivemos no mesmo semestre “Aspectos legais de gestão” e “Contabilidade” ou quando tivemos “Empreendedorismo” e “Planejamento estratégico”. Outros diferenciais foram o constante contato com as empresas por meio de projetos de extensão e a qualificação dos professores, é nítido que eles dominam a matéria.”

Para quem tiver interesse, o relatório se encontra no linkhttp://enadeies.inep.gov.br/enadeIes/enadeResultado/

GOVERNO FEDERAL