Pular para o conteúdo

Notícias

IFSC entrega Câmpus Urupema à comunidade

CÂMPUS URUPEMA Data de Publicação: 06 jul 2015 21:00 Data de Atualização: 06 fev 2018 14:57

 

O IFSC realizou na sexta-feira, dia 3, a cerimônia de entrega do Câmpus Urupema à comunidade, evento que teve a participação de aproximadamente 200 pessoas. A cerimônia marca a finalização das obras do bloco 2 do câmpus, que possui 10 laboratórios, cinco salas de aula, um espaço para ensino a distância, cantina, incubadora de empreendimentos, além de das demais dependências administrativas. Com isso, o Câmpus Urupema quadruplica sua área física e terá capacidade de receber 600 estudantes.

O evento foi realizado na sala multiuso do bloco 2 do Câmpus Urupema, com apresentações culturais – coral, violinos, flauta doce e chula (dança típica) – e discurso de autoridades, que destacaram a importância do câmpus para o pequeno município de 2,5 mil habitantes – o menos populoso a ter um câmpus do IFSC - e cidades vizinhas.

O diretor-geral do Câmpus Urupema, Marcos Roberto Dobler Stroschein, informou que o já foram formados 1,2 mil alunos na unidade de ensino. "O câmpus que está sendo entregue 

hoje

 possui uma estrutura para atender bem aos seus alunos", afirmou. Atualmente, o Câmpus Urupema oferece o curso técnico em Agroindústria, o curso superior de tecnologia em Viticultura e Enologia e os cursos de formação inicial e continuada em Confeitaria, Libras Básico e Produção de Salgados e Pizza.

Implantação do câmpus

A ex-reitora do IFSC, Consuelo Sielski, era a dirigente da instituição quando o câmpus iniciou suas atividades, em 2010. Ela lembrou que ela e sua equipe eram chamados de "loucos" quando surgiu a ideia de implantar a unidade de ensino em Urupema. "Louco era quem dizia isso. Esse câmpus não é só para Urupema, mas para toda a região, que merece e precisa desse câmpus. Ele vai ajudar a trazer empresas para a região."

Atual reitora do IFSC, Maria Clara Kaschny Schneider lembrou como começou o processo de expansão da Rede Federal de Educação Profissional, Científica e Tecnológica e dos desafios que a instituição precisou enfrentar para implantar novos câmpus, incluindo resistências internas. "Alguns acreditavam que a expansão poderia precarizar os câmpus existentes, ou que nao daríamos conta de administrar tantos câmpus. Todas as dificuldades que enfrentamos, tenho certeza, fizeram com que ficássemos mais fortes."

Prefeito de Urupema desde 2009, Amarildo Luiz Gaio contou como começou o movimento para trazer uma instituição federal de ensino para a cidade, após a construção de um plano de desenvolvimento regional com conjunto com o governo do Estado. "Era uma utopia naquele momento, mas temos que acreditar na utopia para que a tornemos realidade."

Para a diretora de Políticas de Educação Profissional e Tecnológica do Ministério da Educação, Nilva Schroeder, o Câmpus Urupema vai "mostrar para que serve um Instituto Federal". "Aqui se deve fazer pesquisa, deve-se dar oportunidade para a cultura... É mais que uma escola, é uma instituição que tem que repercutir na sua comunidade", afirmou. A diretora acredita que a expansão da Rede Federal de Educação Profissional e Tecnológica deve alcançar "os lugares mais distantes do País".

Melhorias

Segundo o diretor Marcos Stroschein, ainda faltam alguns espaços e equipamentos importantes, como moradia estudantil e fazenda experimental para o desenvolvimento de pesquisas. Representando os estudantes do câmpus, Edson Andrade Lima Júnior, aluno do curso superior de tecnologia em Viticultura e Enologia, reforçou a importância das melhorias, principalmente a fazenda experimental. "Essa estrutura é importante para o desenvolvimento do curso e para formar profissionais qualificados para o exigente mercado de trabalho", disse.

Confira fotos do evento na página do IFSC no Facebook.

 

CÂMPUS URUPEMA