Pular para o conteúdo

Notícias

Estudante do Câmpus Joinville desenvolve ferramenta inédita para facilitar ensino de estatística

CÂMPUS JOINVILLE Data de Publicação: 21 nov 2019 12:29 Data de Atualização: 21 nov 2019 13:09
Estudante do Câmpus Joinville desenvolve ferramenta inédita para facilitar ensino de estatística

Meta concluída com sucesso: desenvolver uma ferramenta educacional para ajudar no ensino de inferência estatística, ramo da estatística que usa os cálculos de uma amostra representativa para conhecer os resultados de um universo maior. A estudante Isabela das Chagas Luiz adaptou o método de reamostragem bootstrap para aplicação prática por meio de uma planilha eletrônica em um software mais acessível que os comuns usados para cálculos estatísticos. O projeto é pioneiro no Brasil.

Aluna do 6º módulo do curso técnico integrado em Mecânica do Câmpus Joinville do IFSC e bolsista do Programa Institucional de Bolsas de Iniciação Científica para o Ensino Médio (PIBIC-EM) no Departamento de Matemática da Universidade do Estado de Santa Catarina (Udesc), em Joinville, Isabela atua no projeto “Reamostragem Bootstrap e testes de permutação no ensino de inferência estatística”, orientado pela professora Elisa Henning, da Udesc.

O objetivo da pesquisa é contribuir para melhorar o ensino de estatística no ensino médio e nos cursos de graduação, auxiliando na compreensão sobre inferência e incluindo a tecnologia no processo de aprendizagem. “Todo processo da construção dos dados favorece para que o estudante não fique dependente das fórmulas, mas veja os resultados e passe a raciocinar estatisticamente. Assim, o ensino de inferência estatística deixa de ser algo apenas teórico e se apresenta na prática, podendo ser visto como o método funciona”, explica a aluna.

Para chegar ao modelo da planilha e da função específica a ser usada, a estudante teve que se dedicar à pesquisa, especialmente porque os testes de permutação não são conteúdo de ensino médio. “No projeto atual, a Isabela enfrentou alguns desafios. Inicialmente, de ler e estudar sobre inferência estatística, um conteúdo geralmente estudado apenas nos cursos de graduação. Além disso, teve de investigar reamostragem bootstrap, um assunto complexo e com a grande maioria do material escrita em língua inglesa”, conta a professora orientadora.

Este é o terceiro ano que Isabela participa do PIBIC na Udesc e, desde agosto de 2018, neste projeto. Anteriormente, ela participou de um projeto que tinha como objetivo desenvolver um jogo para o ensino de estatística para crianças de seis a nove anos, junto com outros três alunos do IFSC. Sob orientação da professora Elisa e da professora Luciane Mulazani dos Santos, o grupo desenvolveu um jogo de tabuleiro que atualmente está sendo adaptado para uma versão digital por um aluno da graduação.

“Acredito que esta integração com a universidade é importante para o desenvolvimento acadêmico, profissional e também pessoal do estudante do ensino médio. Participar de um projeto de iniciação científica desperta no estudante o interesse para a pesquisa e possibilita desenvolver habilidades, atitudes e valores essenciais para a cultura científica e educação tecnológica”, enfatiza professora Elisa Henning.

Neste ano, Isabela foi a única estudante de ensino médio a apresentar no Seminário de Iniciação Científica (SIC) da Udesc Joinville, nos dias 29 e 30 de agosto. “Foi uma experiência bem legal, porque dá uma visão bem mais ampla das coisas, princialmente da vida acadêmica, por estar inserida em um projeto da universidade. Também fiquei bem feliz em saber o quanto os avaliadores gostaram e elogiaram o trabalho”, conta Isabela. No total, o evento teve a apresentação de 124 projetos dos cursos de licenciatura em Matemática, Química e Física, Ciência da Computação e Engenharia (Civil, Mecânica, Elétrica e Produção).

Conforme as pesquisadoras, o projeto terá continuidade: “queremos aperfeiçoar a planilha base e produzir um aplicativo junto a um material instrucional que permita auxiliar o aluno em seu aprendizado na área de estatística”.

CÂMPUS JOINVILLE PESQUISA