Pular para o conteúdo

Notícias

Estudantes do Câmpus Chapecó relatam “alívio” e “esperança” com o retorno de atividades presenciais

ENSINO Data de Publicação: 16 set 2021 18:23 Data de Atualização: 16 set 2021 19:11

Após completar mais de um mês na fase 2 da Política de Segurança Sanitária (PSS), o Câmpus Chapecó do IFSC continua trabalhando para seguir a risca todos os protocolos sanitários e aguarda autorização do Conselho Superior (Consup) para aprovar no Colegiado do câmpus o acionamento da fase 3, que permitirá o retorno de até 50% das atividades presenciais.

Até lá, parte dos estudantes do Câmpus Chapecó já frequentam e continuarão frequentando presencialmente a estrutura física, no bairro Seminário. Nos relatos abaixo, é possível perceber falas de “alívio” e “esperança” com as atividades presenciais, após praticamente um ano e seis meses de aulas no formato não presencial.

Desde o dia 2 de agosto, quando a fase 2 foi acionada em Chapecó, os cursos que ofertam unidades curriculares do semestre 2021-1 retornaram com algumas aulas presenciais em laboratório, além de atividades de pesquisa e de TCC. Ainda, está permitido aos professores realizar atividades extracurriculares presenciais para um pequeno grupo de estudantes.

A partir de 04 de outubro, quando inicia o semestre 2021-2, todas as unidades curriculares que dependem de atividades práticas presenciais nos laboratórios do câmpus devem retornar presencialmente. Os professores e o Departamento de Ensino irão orientar os estudantes pontualmente.

“Durante meses recebemos pedidos dos estudantes e pais solicitando retorno para atividades de laboratório. Diante disso, a direção, a Comissão Local do Covid e a CISSP (Comissão Interna de Saúde do Servidor Público) implantaram os protocolos sanitários. Para receber os estudantes, além de organizar o espaço físico, foi necessário orientá-los quanto a todos os cuidados para termos um espaço seguro. Esse dia tão esperado chegou, seguindo os protocolos de forma rigorosa. E com a chegada deste dia, percebemos o quanto o IFSC é importante para a vida das pessoas, o espaço físico e as relações estabelecidas aqui”, afirma a diretora-geral do Câmpus Chapecó, Sandra Agne.

Ainda, a diretora ressalta que a direção percebe “o sorriso através do olhar de cada estudante, de cada servidor e dos pais” e, desta forma, “não mediremos esforços para que consigamos cada vez mais avançar as fases seguintes, como agora a fase 3, e retomar esse retorno de forma segura para espaço que é de vocês”.

Opinião de estudantes que retornaram ao presencial

Para a aluna Débora Goellner, do técnico em Informática Integrado ao Ensino Médio, “estar de volta no câmpus, mesmo que não da mesma forma que antes, é um fio de esperança de que os sonhos lá do início ainda podem se realizar.” Débora lembra que estava no segundo semestre do curso quando a pandemia começou e estava com aquele sentimento “típico de caloura, quando achava que podia melhorar o mundo através do que estava aprendendo, mas a pandemia chegou e a frustração e a ansiedade tomou lugar.” Agora, com o retorno de algumas aulas no laboratório de informática, consegue enxergar a esperança novamente. 

Ricardo Perin, do módulo dois do técnico em Mecânica, elogia as aulas presenciais: “por ser um curso técnico, é mais fácil aprender e assimilar os conteúdos na prática, dentro dos laboratórios em contato com as máquinas e mais próximo dos professores.” Para ele, poder conhecer a turma de forma presencial também teve um grande peso: “Ingressei no técnico quando as aulas já eram online, e pela primeira vez pude conhecer a minha turma. Foi ótimo ter este contato”, ressalta.

Aluna do módulo 5 do técnico Integrado, Maria Cecília Pozzer afirma que nas unidades curriculares voltadas à Programação tem sido mais fácil acompanhar as instruções do professor e manter o foco na aula, além de certa praticidade em trocar ideias sobre com os colegas. “Foi realmente bom voltar a ter um contato mais próximo (mesmo que não tão próximo) com uma parte da turma e com os professores presentes, chega a dar certo alívio”, afirma.

Mariane Teló, que também está no módulo 5 do curso integrado, conta que teve aulas de Informática de forma presencial no último mês. “É melhor do que as aulas online, mas ainda é bem diferente do que era antes. O refeitório e o intervalo cheio de gente faz muita falta, esses momentos de interação com as outras turmas, a música no intervalo e ver todos os professores. Isso tudo faz falta”, lembra a estudante.

Felipe Pasquini está iniciando o segundo semestre de Engenharia de Controle e Automação. Para ele, “por ter sido tudo remotamente, tirou um pouco da graça da coisa, sem a emoção de conhecer os companheiros de turma e os professores presencialmente”. Ainda, Felipe percebe que em relação às aulas, “presencialmente acredito que os alunos teriam um rendimento melhor comparado com as ANPs (Atividades Não Presenciais)”.

Quando será acionada a próxima fase?

Para acionar a fase 3, para o retorno às atividades administrativas e acadêmicas de até 50% da capacidade operativa do câmpus, é preciso cumprir os seguintes pré-requisitos:

- Verificação de Risco Potencial Alto por pelo menos 21 dias consecutivos na região de saúde em que se encontra o câmpus (com base no mapa de risco divulgado pelo Governo de Santa Catarina) OU conclusão do cronograma vacinal dos profissionais da educação em Santa Catarina;
- Dimensionamento do número de servidores e setores que necessitam trabalhar presencialmente para acionamento da Fase;
- Mapeamento de espaços a serem utilizados, de horários e fluxos de atividades para acionamento da Fase 3;
- Análise dos relatórios de acompanhamento da implantação da Fase 2;
- Autorização do Consup para acionamento da Fase 3, a partir de relatório do Comitê Técnico-Científico.

Saiba mais

Ficou com dúvida? Saiba mais na página do IFSC sobre a Covid-19, que concentra todas as informações da instituição.
 

ENSINO CÂMPUS CHAPECÓ

Nó: liferay-ce-prod01

Este site usa cookies para garantir que você obtenha a melhor experiência. Leia Mais.