Pular para o conteúdo

Notícias

Grupo de pesquisa em Engenharia publica artigo e se destaca na divulgação de conhecimento no Câmpus Florianópolis

CÂMPUS FLORIANÓPOLIS Data de Publicação: 18 fev 2022 18:16 Data de Atualização: 18 fev 2022 18:53

Em janeiro deste ano, o Grupo de Pesquisas em Computação Científica para Engenharia (PECCE) publicou o artigo no Journal of Control Automation and Eletrical Systems. Com o título Diagnosis of unbalance in lightweight rotating machines using a recurrent neural network suitable for an edge-computing framework, o texto tem como autores principais os hoje egressos Lucas Yuki Imamura, do curso técnico em Eletrônica, e Leonardo Jablon, da Engenharia Elétrica.

Segundo o orientador dos alunos e coordenador do PECCE, professor Sérgio Luciano Ávila, o incentivo dado para que os integrantes do grupo de pesquisas façam esse tipo de publicação em revistas indexadas e de reconhecido valor científico tem ligação direta com a missão do Instituto Federal de Santa Catarina.”Artigos publicados em revistas indexadas são uma forma de divulgar os resultados obtidos em projetos de ensino, pesquisa e extensão - consequentemente, são um meio de promover o IFSC", destaca Ávila.

Ele cita ainda mais três publicações de destaque entre as publicadas por integrantes do PECCE nos últimos, sempre tendo estudantes como autores principais:

• Heloisa Scharbele e Susy Youssef, Engenharia Eletrônica:
Rotor Unbalance Kind and Severity Identification by Current Signature Analysis with Adaptative Update to Multiclass Machine Learning Algorithms, Studies in Engineering and Technology. 2021.

• Leonardo Jablon, Engenharia Elétrica:
Diagnosis of rotating machine unbalance using machine learning algorithms on vibration orbital features, Journal of Vibration and Control. 2020.            

• Rafael Noboro Tominaga, Engenharia Elétrica:
Identificação do tipo e da severidade do desbalanceamento de rotores por meio da análise da assinatura de corrente, Encontro Nacional de Máquina Elétricas ENAM CIGRE, 2020.

“E aqui temos a vantagem da verticalização do ensino, pois a pessoa pode começar seus estudos conosco no Ensino Médio Técnico, com 14, 15 anos, e seguir até o mestrado. Temos como gerar o conhecimento em qualquer nível do aprendizado nesse espectro”, explica Ávila. "Produção técnica, como projetos, patentes, artigos, livros, produtos, são indicadores de maturidade científica institucional. O MEC e outros órgãos avaliam o IFSC frequentemente, inclusive quanto a sua produção técnica”.

Ainda que o cenário esteja mudando nos últimos anos, Ávila acredita que o IFSC está publicando menos do que poderia. “Para publicar em revista conceituada, o assunto tem que ser original. Tem que existir contribuição ao estado da arte, à ciência. Publicações onde os autores principais são alunos da graduação é raro. Com aluno de curso técnico, em revista indexada internacional, desconheço outro”, afirma o professor, referindo-se ao fato de que, ao iniciar a pesquisa para a publicação, Lucas Imamura ainda fazia o técnico em Eletrônica simultaneamente à primeira fase do curso de Engenharia Eletrônica, também no IFSC. Hoje, ele estuda Ciências da Computação na Universidade Federal de Santa Catarina.

“Antes de me inscrever em Engenharia Eletrônica eu já estava em dúvida de qual fazer, mas, por causa do projeto de pesquisa, acabei decidindo mudar de curso para ter uma formação mais voltada para área de software”. Para ele, a formação do IFSC deu a base para a escrita do artigo, principalmente a autonomia nos estudos necessária para realizar a pesquisa.

De acordo com o diretor de Pós-graduação, Pesquisa e Extensão do câmpus, Rogério Versage, estas publicações são resultados que trazem muitos benefícios para o IFSC. “Primeiro, em proporcionar aos estudantes a experiência de desenvolver conhecimento de relevância e divulgá-lo para a comunidade científica nacional e internacional. Artigos publicados em revistas indexadas com boa qualificação Qualis Capes elevam o nome da instituição e só confirmam nossa posição de melhor instituto federal do país. Além disso, estas produções contribuem para melhorar a posição do IFSC nos rankings que comparam as instituições científicas, aumentando nossa competitividade para acessar recursos para projetos de pesquisa junto a agências de fomento”, diz Versage.

Para o vice-diretor, Humberto Beirão, os benefícios do incentivo à produção científica e à publicação de artigos em revistas indexadas são imensuráveis e não se restringem apenas aos estudantes e professores. “Uma instituição de ensino como o IFSC - Câmpus Florianópolis, com atuação que cobre o nível técnico, de graduação e de pós-graduação, tem o dever de incentivar a produção científica de qualidade.”

Sobre o PECCE

O Grupo de Pesquisas em Computação Científica para Engenharia (PECCE) desenvolve pesquisas de previsão de comportamento de máquinas e sistemas elétricos.

“Esses projetos têm por característica a indissociabilidade do ensino, pesquisa e extensão. Em particular, destaca-se a contribuição na formação dos alunos”, completa Sérgio Ávila.

CÂMPUS FLORIANÓPOLIS

Nó: liferay-ce-prod02

Este site usa cookies para garantir que você obtenha a melhor experiência. Leia Mais.