Pular para o conteúdo

Notícias

Quando o aprender vai além: compartilhar conhecimento e amor pela matemática

SEPEI Data de Publicação: 31 jul 2019 19:00 Data de Atualização: 31 jul 2019 16:39
Quando o aprender vai além: compartilhar conhecimento e amor pela matemática

Em Joinville, os estudantes do IFSC além de participarem de um grupo de estudo para a Obmep também puderam compartilhar seus conhecimentos e o amor pela matemática com estudantes da rede municipal. Por meio do projeto de extensão Divulgação e preparação para olimpíadas de matemática em escolas da rede municipal de Joinville, João Marcos de Oliveira, Natália Gandra dos Santos Trigoli, Raíssa Barbi Ciscon e Sarah Isabella da Costa atenderam 85 alunos em quatro turmas, duas de nível I (6º e 7º anos) e duas de nível II (8º e 9º anos), da Escola Municipal Professora Zulma do Rosário Miranda, localizada próxima ao IFSC. O trabalho foi apresentado em forma de pôster nesta quarta-feira (31), no 8o Seminário de Ensino, Pesquisa, Extensão e Inovação (Sepei), em Chapecó. 

Durante as aulas preparatórias para a primeira fase da Obmep, os estudantes do IFSC acabaram descobrindo outra paixão: ensinar. Este é o caso de Natália Trigoli, do 5º módulo do técnico em Eletroeletrônica, que está toda orgulhosa com os resultados obtidos pela sua turma. “Eu nunca tinha sentido esse sentimento de orgulho de algo que eu pude ajudar. Mas só ajudar mesmo, porque o esforço foi todo deles. Os alunos que frequentaram todas as aulas, participavam das atividades e faziam os exercícios conseguiram um ótimo resultado”, comenta.

Para a segunda fase da Obmep, o projeto continua e está aberto para todos que quiserem participar. “Aproveitamos que a procura diminuiu por conta dos alunos que não passaram pra segunda fase e convidamos os alunos de outras duas escolas municipais do bairro, Governador Pedro Ivo Campos e  Pastor Hans Müller, para participarem junto com os da Zulma”, relatou o coordenador do projeto, coordenador local da Obmep e professor de matemática do Câmpus Joinville, Paulo Amaro dos Santos. 

Segundo Paulo Amaro, a Obmep não é uma simples competição. “Nossos objetivos são fomentar o estudo da matemática, despertar talentos, incentivar a participação nas olimpíadas e mostrar que a matemática pode ser trabalhada de forma concreta e lúdica”, explicou o coordenador.

SEPEI