Como os cursos do IFSC são criados?

BLOG DO IFSC Data de Publicação: 20 abr 2021 23:24 Data de Atualização: 27 abr 2021 08:31

Uma pergunta que recebemos muito é por que não temos um curso específico em determinado câmpus. Nossa resposta é que a abertura de um curso não é simples e não depende apenas da vontade das pessoas. No post de hoje vamos explicar como os cursos do IFSC são criados.

Passo a passo para criação de um curso no IFSC

Em geral, a criação de um curso é iniciativa de unidades do IFSC que realizam ofertas educativas. No caso, um dos nossos 22 câmpus ou nosso Centro de Referência em Formação e Educação a Distância, o Cerfead. A unidade identifica a demanda com base no arranjo socioeconômico local/regional e a demanda de público para a formação profissional. 

Mas o que isso quer dizer? Quer dizer que  o IFSC analisa qual formação profissional contribuirá com o desenvolvimento da região onde o câmpus está localizado, considerando os fatores sociais, como quem pode fazer o curso, e econômicos, como o mercado de trabalho. Essa análise é importante para que o IFSC cumpra a sua missão que é “Promover a inclusão e formar cidadãos, por meio da educação profissional, científica e tecnológica, gerando, difundindo e aplicando conhecimento e inovação, contribuindo para o desenvolvimento socioeconômico e cultural”. 

Infográfico mostrando como um curso é criado no IFSC

A partir desse estudo feito por servidores do câmpus, um grupo de trabalho formado por professores da área e técnicos do Ensino elabora um projeto pedagógico de curso, que chamamos de PPC, e submete ao colegiado do câmpus, para que seja apreciado. O PPC é uma das partes do Projeto Pedagógico Institucional, o PPI, que é um dos capítulos centrais do nosso Plano de Desenvolvimento Institucional, o PDI.

-> Entenda melhor sobre o PPC neste post que já fizemos sobre o que é um projeto pedagógico institucional

Quando o PPC é aprovado no colegiado do câmpus, ele vai então para a apreciação do Colegiado de Ensino, Pesquisa e Extensão do IFSC, o Cepe, que tem a competência de analisar e aprovar o PPC. No caso dos cursos de formação inicial e continuada (FIC) ou cursos de qualificação, a aprovação do Cepe já é o suficiente para que a oferta seja liberada e o câmpus abra vagas para o curso. Todos os demais tipos de cursos, após a aprovação no Cepe, seguem para a última análise que ocorre no Conselho Superior do IFSC, o Consup, que delibera sobre a autorização de oferta.

Todas as propostas de cursos são aprovadas?

Não. Ao longo do processo de criação de um curso, o seu projeto pedagógico (o PPC, lembra?) está sujeito a idas e vindas. Nos momentos de apreciação da proposta - que ocorrem no colegiado do câmpus, no Cepe e no Consup, o projeto pode ter que retornar para o proponente ou responsável para sanar alguma lacuna ou fragilidade identificada. Embora seja raro, o PPC pode estar aprovado e a autorização da oferta ser indeferida no Cepe, no caso de um curso de qualificação, ou no Consup, no caso dos demais tipos de curso.

Como saber se um curso foi aprovado?

Os cursos são aprovados por meio de resoluções do Cepe ou do Consup. Após cada reunião desses colegiados, as resoluções são publicadas no portal dos colegiados no SIGRH.

Quanto tempo demora para um curso ser criado?

Isso vai depender bastante já que, além do trabalho do grupo que constrói o PPC, tem todo o trâmite de aprovação que depende da agenda dos colegiados, mas, podemos dar uma estimativa de acordo com o tipo de curso. No caso dos cursos de qualificação (FIC), o processo é mais rápido porque não precisa passar pelo Consup, então a criação demora de um a dois meses. Já os cursos técnicos demoram, em média, de três a quatro meses para serem criados, enquanto os cursos de graduação e pós-graduação demoram de cinco a seis meses.

Depois que um curso é criado, quanto tempo pode demorar para as vagas serem abertas?

Normalmente, o projeto pedagógico do curso indica o semestre letivo em que as vagas começarão a ser ofertadas pelo câmpus. Há casos em que a resolução de autorização de oferta pelo  Consup é publicada e, no mesmo dia, o curso já é informado ao Departamento de Ingresso para inserção no edital a ser publicado.

Os cursos são os mesmos em todos os câmpus?

Esta resposta parece óbvia: não. Cada um dos nossos 22 câmpus oferece diferentes cursos. Para saber quais cursos são oferecidos em cada câmpus, você deve acessar o site do câmpus. Você também pode fazer a busca de outra forma pelo nosso Guia de Cursos, onde você escolhe o curso do seu interesse e aí visualiza onde ele é ofertado.

Mas temos o mesmo curso em câmpus diferentes. Por exemplo: temos o curso técnico de Enfermagem no Câmpus Florianópolis e no Câmpus Joinville. Será que eles são idênticos? 🤔

Bom, em casos assim, há um núcleo comum de disciplinas por exigência das diretrizes curriculares existentes para cada formação profissional, mas pode haver diferenças em termos de grade curricular sim, pois o contexto socioeconômico e ambiental local/regional muda de câmpus pra câmpus e pode exigir um grupo de disciplinas mais ou menos específico.

Quem pode sugerir um novo curso? 

Qualquer pessoa. A iniciativa de um novo curso pode vir de servidores, de alunos e da comunidade externa - como empresários, por exemplo, que sentem a necessidade de profissionais no mercado. As sugestões podem ser encaminhadas para os dirigentes dos câmpus, como o diretor(a)-geral ou diretor(a) de Ensino, por meio dos e-mails disponíveis nos sites institucionais ou para a Ouvidoria

Nem toda sugestão irá resultar na criação de um curso já que, como dissemos lá em cima, fazemos um estudo considerando a demanda com base no arranjo socioeconômico local/regional e público de interesse. Outro ponto importante a se considerar é o quadro de professores que já são efetivos do câmpus.

E as audiências públicas?

Alguns podem se lembrar que já fizemos audiências públicas em que a população indicava cursos de interesse. 

Notícia sobre audiência pública feita em Garopaba

As audiências públicas foram um importante instrumento para a definição das ofertas educativas iniciais e dos eixos tecnológicos para atuação dos câmpus em criação e implantação, especialmente a partir de 2008. Atualmente, as audiências públicas não são mais utilizadas e os câmpus recorrem a outras estratégias, como reuniões ou oficinas com agentes públicos ou privados dos principais setores da sociedade local/regional interessados ou afetados pela oferta de cursos.  

O que são os eixos tecnológicos? 

O(s) eixo(s) tecnológico(s) define(m) a estrutura de organização da Educação Profissional e Tecnológica dos câmpus e o leque de ofertas e de perfis profissionais a serem desenvolvidos. Na implantação de cada câmpus e no processo de consolidação das ofertas educativas, são definidos os eixos de atuação daquela unidade a partir dos arranjos socioeconômicos locais/regionais. 

Para saber quais os eixos de atuação dos câmpus do IFSC e a relação com as ofertas de cursos, acesse o capítulo 7 do nosso PDI 2020/24, que sistematiza o Plano de Oferta de Cursos e Vagas, o POCV, de cada unidade. É no POCV também que você pode verificar quais os cursos que devem ser ofertados pelos câmpus nos próximos anos.

Depois de aprovado, um curso é ofertado para sempre?

Explicamos como um curso é criado, mas e como ele deixa de ser ofertado? O processo de descontinuação depende do tipo de curso. 

No caso de cursos de qualificação, por se tratarem de ofertas não periódicas, a oferta pode ser suspensa por decisão do câmpus se não houver disponibilidade de infraestrutura (salas de aula, laboratórios) e recursos (insumos, carga horária docente) num determinado período. Já no caso de cursos técnicos, de graduação e pós-graduação, a suspensão (e até mesmo a extinção) da oferta precisa ser justificada (como baixa procura, substituição por outra oferta etc.) e submetida à apreciação do Cepe e Consup.

E agora? Ficou mais claro como nossos cursos são criados? Deu para entender que é um processo complexo, não é? E que não basta o desejo de alguém que tenha um determinado curso perto de casa, mas sim que o curso contribua de fato para o desenvolvimento daquela região.

Esperamos ter esclarecido todas as dúvidas, mas se você ficou com mais algum questionamento mande para a gente no e-mail blog@ifsc.edu.br.

Receba nossos posts

Se quiser ver tudo o que já publicamos no Blog do IFSC, clique aqui.

Você também pode receber nossos posts no seu e-mail sempre que forem publicados fazendo seu cadastro aqui.

 
 
BLOG DO IFSC BLOG DO IFSC