Infraestrutura do IFSC: entenda como funciona

BLOG DO IFSC Data de Publicação: 23 jun 2021 10:38 Data de Atualização: 07 jul 2021 10:46

A gente repete muito que só existimos pelas pessoas, gente como você. Mas para cumprir a nossa missão de promover a inclusão e formar cidadãos contribuindo para o desenvolvimento socioeconômico e cultural precisamos de uma infraestrutura para dar conta disso. No post de hoje, vamos falar de mais um capítulo do nosso Plano de Desenvolvimento Institucional, o PDI. E é claro que é justamente o que trata da Infraestrutura - capítulo 9 se você for procurar na página do plano.

O objetivo deste capítulo é planejar a instituição para o suporte das ofertas de cursos, além das demais atividades acadêmicas e administrativas. Para isso, ele é organizado em quatro seções.

1) Diagnóstico quantitativo e qualitativo dos ambientes e instalações, com destaque para as bibliotecas, laboratórios e condições de acessibilidade espacial;
2) Diretrizes para atualização e ampliação da infraestrutura;
3) Plano Quinquenal de Infraestrura (aliás, este plano de ordem tática é uma novidade em relação ao PDI anterior, dando a cada câmpus e demais unidades uma visão de longo prazo de suas demandas, norteadoras dos ciclos anuais de planejamento operacional);
4) Projeto de Acervo Acadêmico Digital, exigência do Decreto nº 9.235/2017 em função da transformação digital dos serviços públicos.

Não vamos detalhar cada seção porque isso pode ser consultado direto no capítulo. Se você gosta de números e tabelas, vai amar essa parte do PDI. 🥰

Mas vamos destacar alguns dados que mostram a grandeza do nosso instituto.

Qual o tamanho do IFSC?

O IFSC tem 24 unidades administrativas que são os seus 22 câmpus, a Reitoria e o Centro de Referência em Formação e Educação a Distância, o Cerfead. Com essa estrutura, estamos presentes em 20 cidades de Santa Catarina, sendo elas: Araranguá, Caçador, Canoinhas, Chapecó, Criciúma, Florianópolis, Gaspar, Garopaba, Itajaí, Jaraguá do Sul, Joinville, Lages, Palhoça, São Carlos, São Lourenço do Oeste, São José, São Miguel do Oeste, Tubarão, Urupema e Xanxerê.

Arte mostrando a infraestrutura do IFSC
 

Se somarmos as áreas construídas de toda a nossa estrutura, temos 159.483,15 m². Possuímos 29 imóveis, sendo apenas um alugado. Com isso, podemos dizer que temos R$ 370 milhões em bens patrimoniais.

Números do IFSC

Para dar uma dimensão ainda mais clara do nosso tamanho, pedimos à Diretoria de Gestão de Conhecimento do IFSC que nos passasse alguns números da nossa estrutura. Veja só os dados referentes à agosto de 2019:

- Acervo bibliográfico: 73.336 títulos e 174.621 exemplares
- Salas de aula: 311
- Biblioteca/Sala de Leitura/computação: 34
- Mini auditório: 8
- Auditórios: 14
- Banheiros: 340
- Ginásios cobertos: 11
- Laboratórios: 566

-> Veja a relação de instalações físicas por câmpus no capítulo 9 do PDI

Quando o IFSC amplia sua estrutura?

Para dar conta do crescimento do número de alunos, o IFSC precisou ampliar muito a sua estrutura física nos últimos anos. A ampliação e a adequação da infraestrutura dependem de termos recursos disponíveis para isso, ou seja, orçamento.

-> Entenda o orçamento do IFSC

Uma vez tendo o dinheiro, o IFSC estabelece diretrizes - que estão presentes no PDI - para determinar o que será ampliado e/ou adequado em termos de estrutura. São elas:

- 1. Apresentar correlação pedagógica entre as instalações dos laboratórios, seus equipamentos e os cursos, programas e projetos previstos;
- 2. Atender a toda a comunidade, incluindo o atendimento prioritário, imediato e diferenciado às pessoas com deficiência ou com mobilidade reduzida, para utilização, com segurança e autonomia, total ou assistida, dos espaços, mobiliários e equipamentos urbanos, das edificações, dos serviços de transporte; dos dispositivos, sistemas e meios de comunicação e informação, serviços de tradutor e intérprete de Libras;
- 3. Atender com qualidade às demandas identificadas por instrumentos de avaliação interna e aos indicadores estabelecidos nos instrumentos de avaliação externa institucional e de cursos.
- 4. Atender às normas municipais referentes à taxa de ocupação do terreno, áreas de circulação e o plano diretor municipal;
- 5. Priorizar demandas de infraestrutura de acordo com critérios de impacto no cumprimento da missão e das metas do planejamento institucional e critérios técnicos de viabilidade de execução, no caso de obras e serviços de engenharia.

Como o IFSC define as prioridades para as obras? 

As obras no IFSC são estabelecidas no Plano Quinquenal de Infraestrutura definido no Plano de Desenvolvimento Institucional. O planejamento de cinco anos é feito com base na autonomia dos câmpus, que estabelecem as suas prioridades de obras e projetos que atendam as necessidades da sua comunidade acadêmica. 

O detalhamento deste plano de forma anual é feito a partir de cinco critérios técnicos com o objetivo de classificar todas necessidades previstas em níveis de prioridade para viabilizar os trabalhos do Departamento de Obras e Engenharia. Veja quais são esses critérios em ordem decrescente de importância:

- Obras e serviços de engenharia de segurança e/ou regularização dos câmpus;
- Obras e serviços de engenharia priorizando diretamente os alunos, alinhado com o PDI;
- Obras e serviços de engenharia que possuem terreno ou situação imobiliária regularizada;
- Obras e serviços de engenharia que possuem recurso já reservado;
- Obras e serviços de engenharia que possuem projetos aprovados ou já concluídos. 

A partir desses critérios e com base na disponibilidade da equipe técnica em absorver as demandas, o Departamento de Obras e Engenharia em conjunto com a Pró-Reitoria de Administração do IFSC elabora um cronograma de obras para para cumprimento ao longo do ano, que também é submetido para aprovação no Colégio de Dirigentes, o Codir. 

É lógico que esse ranqueamento técnico das demandas pode ser alterado conforme fatores circunstanciais como, por exemplo, a disponibilidade de recursos específicos, o avanço no desenvolvimento/aprovações dos projetos, a urgência no atendimento de prazos de órgãos públicos responsáveis pela regulação e fiscalização, as emergências causadas por desastres ambientais (enchentes, vendavais), entre outros.

Por que as estruturas dos câmpus não são as mesmas?

Às vezes, recebemos alguns questionamentos sobre por que um câmpus tem quadra e outro não tem? Ou por que a ampliação de um bloco acontece em um câmpus e no outro demora mais? 

Esta situação ocorre pelas prioridades estabelecidas no Plano Quinquenal do PDI e o cronograma de obras definido no Codir anualmente, que consideram a priorização de cada câmpus com base nas necessidades da sua comunidade acadêmica, limitações físicas do terreno e em virtude da disponibilidade da equipe técnica do IFSC. 

Como andam as obras do IFSC?

Como você pode perceber ao acessar nosso capítulo 9 do PDI, quando falamos de infraestrutura, não estamos nos referindo apenas a espaço físico, mas sabemos que acompanhar o andamento das nossas obras e o que vem por aí é sempre uma curiosidade da nossa comunidade acadêmica.

Aproveitamos a temática deste post para atualizar as informações conforme levantamento que a nossa Pró-Reitoria de Administração nos passou. 

Obras do IFSC que foram concluídas em 2021:

- troca da tubulação do sistema hidráulico preventivo contra incêndio da Reitoria ;
- reforma do calçamento, muro e portões do Câmpus São José;
|- reforma das fachadas do bloco 1 e auditório no Câmpus Itajaí;
- reforma do laboratório de piscicultura do Câmpus Itajaí;
- adequações no sistema de proteção contra descargas atmosféricas do Câmpus São José;
- adaptação do espaço físico para a reforma do data center do Câmpus São José;
- reforma do pátio coberto da cantina do Câmpus Florianópolis-Continente;
- construção da unidade agrícola do Câmpus Canoinhas;
- reforma da quadra poliesportiva do Câmpus Lages;

Obras em andamento com previsão de conclusão em 2021:

-  construção de quadra descoberta no Câmpus Palhoça Bilíngue;
-  construção do galpão agrícola no Câmpus São Miguel do Oeste;
-  serviços de adequação do Câmpus Tubarão;
-  serviços de adequação do bloco I do Câmpus Araranguá;
-  serviço de reforma das calçadas do Câmpus Xanxerê;
-  serviço de reforma da passarela metálica do Câmpus Joinville;
-  reforma e adequação de ambiente existente para criar uma sala de multimídias no Departamento Acadêmico de Saúde e Serviços noo Câmpus Florianópolis;
-  serviços de reforma e adequação da acessibilidade do Câmpus Florianópolis;
-  reforma da cobertura e acessibilidade do Câmpus São Carlos;
-  reforma dos sanitários para acessibilidade no Câmpus São Miguel do Oeste;
-  construção e reforma de rampas para o Câmpus Chapecó;
- reforma da cobertura do bloco e do Câmpus Chapecó;

Mais sobre o PDI do IFSC

Veja os posts que já fizemos aqui no Blog sobre o PDI:

> O que é um PDI e como ele é feito?
-> Como funciona a estrutura organizacional do IFSC?
-> O que é um projeto pedagógico institucional?
-> Como funciona a EaD no IFSC?
-> Entenda o orçamento do IFSC
-> Aonde o IFSC quer chegar?
-> Entenda o que são os itinerários formativos no IFSC
-> Como trabalhar no IFSC?

Se quiser mais informações, acesse a página do PDI do IFSC.

Receba nossos posts

Se quiser ver tudo o que já publicamos no Blog do IFSC, clique aqui e leia todos os nossos posts. Você também pode receber nossos posts no seu e-mail sempre que forem publicados fazendo seu cadastro aqui

 
 
BLOG DO IFSC BLOG DO IFSC