Pular para o conteúdo

Notícias

Conheça melhor a educação profissional e tecnológica e entenda por que ela é uma boa escolha

BLOG DO IFSC Data de Publicação: 22 dez 2021 15:18 Data de Atualização: 22 dez 2021 15:52

No próximo dia 29, o IFSC completa 13 anos como Instituto Federal de Santa Catarina. Na mesma data também se comemora a criação da Rede Federal de Educação Profissional, Científica e Tecnológica, que foi instituída pela Lei 11.892 de 29 de dezembro de 2008

Mas o que é a Educação Profissional e Tecnológica? Ela foi criada somente em 2008? Qual o diferencial da educação ofertada pelo IFSC? No post de hoje, a gente te explica!

Como surgiu a Educação Profissional e Tecnológica?

Embora muita gente ainda não conheça bem as especificidades da educação ofertada Brasil afora pelos Institutos Federais de Educação, Ciência e Tecnologia, a história dessa grande família de instituições públicas de ensino não é nada recente: remonta ao início do século XX, mais precisamente ao ano de 1909, quando o então presidente Nilo Peçanha assinou o decreto 7.566 e criou as então chamadas Escolas de Aprendizes Artífices.

Nessa época o Brasil tinha pouco mais de 23 milhões de habitantes e era uma República jovem que ainda enfrentava os problemas sociais decorrentes dos séculos de escravidão e colonialismo. A educação era privilégio de uma elite minoritária e 82% da população era analfabeta, de acordo com os registros do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). As Escolas de Aprendizes Artífices, voltadas à educação de crianças e jovens carentes, com foco em sua preparação para o trabalho, vieram ajudar a suprir uma carência gigante de educação pública acessível aos mais pobres.

111 anos depois...

De lá para cá muita coisa mudou, tanto no país quanto nas instituições federais de educação profissional. No caso de Santa Catarina, os ajustes de foco nas ofertas de cursos, sempre relacionadas a demandas sociais, vieram acompanhados de novos nomes, como registramos na nossa Linha do Tempo.

Conheça a história do IFSC neste outro post aqui

No senso comum, tende a ser automática a associação entre educação profissional e tecnológica, ou EPT, à preparação pura e simples para o trabalho – tanto que ainda é costume referir-se aos cursos técnicos como “profissionalizantes”. Porém, suas finalidades extrapolam muito a ideia generalista de ensinar tarefas e atividades relacionadas a profissões. Como explicita nossa missão institucional, a formação de cidadãos está no centro do que fazemos – e isso vai muito além de “realizar tarefas”. Ou seja, a formação para o trabalho também envolve o exercício da cidadania e o desenvolvimento de competências socioemocionais.

O que é EPT, afinal?

O Catálogo Nacional de Cursos Técnicos define a EPT como a modalidade educacional que contempla vários níveis da educação e atua de forma integrada com a ciência para atender às exigências da formação profissional e do mundo do trabalho. Seja nos cursos de educação de jovens e adultos articulados com o ensino fundamental ou médio, seja nos cursos técnicos, de graduação e de pós-graduação, o trabalho e a formação integral são sempre o foco.

Nosso Projeto Pedagógico Institucional (PPI) – que é um capítulo do Plano de Desenvolvimento Institucional (PDI) – destaca que o trabalho é um princípio educativo, e a formação para o trabalho é o diferencial da EPT em relação a outras modalidades educacionais.

Entenda o que é um projeto pedagógico institucional

Somente os institutos federais ofertam cursos de EPT?

A EPT é ofertada no Brasil, atualmente, por diversas instituições públicas e privadas. Nós do IFSC somos integrantes da Rede Federal de Educação Profissional e Tecnológica, que tem 41 instituições em todo o país. No total são 643 câmpus, onde estudam mais de 1 milhão de alunos. Aqui em Santa Catarina, temos 22 câmpus do IFSC e nosso coirmão, o Instituto Federal Catarinense, tem outros 15 câmpus. Ou seja, onde quer que você esteja, tem um câmpus de um IF perto da sua casa – e, quem sabe, um curso para chamar de seu.

IFSC e IFC: é tudo a mesma coisa?

Nunca é demais lembrar: os cursos dos Institutos Federais são 100% gratuitos. Somos instituições públicas, gratuitas e de excelência.

Existe EPT em outros países?

A Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco) considera a EPT (ou Technical and Vocational Education Training, TVET) como um setor prioritário para fomentar a educação equitativa, inclusiva e de qualidade, o que favorece também oportunidades de formação ao longo da vida.

Mundo afora, esse tipo de formação tem iniciativas potentes em países como Alemanha, França, Finlândia, Estados Unidos, Chile, Portugal, Espanha, entre muitos outros. Não por acaso, o IFSC tem convênios e parcerias de internacionalização com muitos desses países, dando oportunidade de mobilidade estudantil para nossos alunos e recebendo, também, estudantes estrangeiros. Saiba mais sobre nossos programas de mobilidade.

Quem pode ser aluno de EPT?

Dizer que os Institutos Federais atuam com cursos em vários níveis de ensino significa dizer que, potencialmente, qualquer pessoa pode se beneficiar com a educação ofertada aqui.

Nos cursos Proeja, por exemplo, quem não concluiu o ensino fundamental ou médio na idade apropriada tem muitas possibilidades aqui: pode voltar à sala de aula para terminar os estudos e de quebra receber qualificação profissional.

Os cursos de qualificação profissional, aliás, oferecem oportunidade de formação para pessoas com os mais diferentes níveis de formação e num leque imenso de áreas e especialidades. Em geral eles são cursos mais curtos e oferecem oportunidades até mesmo para quem não tem o ensino fundamental completo.

O que é um curso FIC ou de qualificação?

Os cursos técnicos integrados estão entre os nossos carros-chefes, já que atraem jovens que estão concluindo o ensino fundamental e buscam uma formação de nível médio gratuita e de qualidade, aliada à formação técnica. Por lei, pelo menos 50% das vagas das instituições federais de EPT devem estar em cursos técnicos integrados.

O que o Ensino Médio do IFSC tem de diferente?

Alguém que esteja cursando o ensino médio em outra instituição, mas queira receber formação técnica, pode fazer um curso técnico concomitante. E quem já tem o ensino médio completo e quer aprimorar suas competências profissionais ou adquirir novos conhecimentos pode recorrer aos cursos técnicos subsequentes.

Qual a diferença entre os cursos técnicos integrados, concomitantes e subsequentes ao Ensino Médio?

E também temos oportunidades para aqueles que desejam uma formação de nível superior – que, geralmente, é associada apenas às universidades. Sim, nos institutos federais temos cursos de graduação, sejam eles superiores de tecnologia, bacharelados ou licenciaturas. E também são muitas as possibilidades de formação em pós-graduação, sejam especializações ou mestrados.

Qual a diferença entre bacharelado, licenciatura e curso superior de tecnologia?
Qual a diferença entre pós-graduação lato sensu e stricto sensu?

A atuação dos nossos câmpus é organizada para garantir que os estudantes percorram o que chamamos de itinerários formativos. Ou seja, há possibilidade de oferecer formação dentro de um eixo de atuação desde o técnico integrado ou o Proeja até o mestrado. Leia aqui o nosso post sobre os itinerários formativos.

Ensino, pesquisa e extensão, sempre de mãos dadas

Outro aspecto importante para entender a amplitude de atuação da EPT é aquilo que nossos alunos já devem ter ouvido falar bastante: a indissociabilidade entre ensino, pesquisa e extensão. Isso quer dizer que aquilo que acontece na sala de aula, o processo de ensino-aprendizagem, não pode ser separado da pesquisa e da extensão, que são outras dimensões da educação integral.

Pela pesquisa, o conhecimento é produzido, gerado e ampliado. Nesse processo, podem ser desenvolvidos novos produtos que atendam demandas de setores específicos, aprimorados processos e procedimentos, atualizados e revigorados conhecimentos já consolidados. Já a extensão articula os saberes científicos e tecnológicos trabalhados na instituição com a comunidade – ou seja, é como levar o IF para fora de seus muros, como costumamos dizer.

Quer saber mais?

Aqui fizemos um resumo bastante básico com os principais aspectos desse mundo incrível que é a Educação Profissional e Tecnológica. Se você quiser saber mais, indicamos alguns documentos e referenciais legais que podem ser acessados na internet:

- Lei 11.892/2008, que é a lei federal que criou a Rede Federal de EPT
- Catálogo Nacional de Cursos Técnicos, que tem todas as informações sobre os cursos desse tipo ofertados na Rede Federal
- Catálogo Nacional de Cursos Superiores de Tecnologia, com as informações sobre os CST
- Lei 9.394/1996, que é a Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional e dedica um capítulo inteiro à EPT
- Resolução 01/2021 do Conselho Nacional de Educação (CNE), que define as diretrizes curriculares da EPT – ou seja, orienta o planejamento dos currículos dos cursos e a atuação das instituições de ensino
- Livro Didática profissional: Princípios e referências para a educação profissional, organizado pelos professores do IFSC Crislaine Gruber, Olivier Allain e Paulo Wollinger, com textos que contribuem para a reflexão em torno da educação profissional

Férias

A partir de amanhã, o IFSC entra em férias em todos os câmpus e nós também! Voltamos em 2022 com muito mais conteúdo sobre o IFSC e os serviços que oferecemos. Quer sugerir algum post? Envie para blog@ifsc.edu.br

Receba nossos posts

Se quiser ver tudo o que já publicamos no Blog do IFSC, clique aqui e leia todos os nossos posts. Você também pode receber nossos posts no seu e-mail sempre que forem publicados fazendo seu cadastro aqui.

 
BLOG DO IFSC BLOG DO IFSC

Nó: liferay-ce-prod02

Este site usa cookies para garantir que você obtenha a melhor experiência. Leia Mais.