Pular para o conteúdo

Notícias

Pesquisa do Câmpus Canoinhas acompanha evolução da qualidade dos vinhos produzidos na região

CÂMPUS CANOINHAS Data de Publicação: 11 mai 2021 17:48 Data de Atualização: 17 mai 2021 20:01

Do manejo das parreiras até o armazenamento do produto final, a profissionalização da cadeia produtiva de uvas e vinhos no Planalto Norte já mostra resultados positivos. A análise faz parte de uma pesquisa de caracterização físico-química de vinhos de mesa e sucos de uva elaborados por produtores da região, que o Câmpus Canoinhas vem desenvolvendo nos últimos dois anos.

“Tive a oportunidade de avaliar e degustar vinhos e sucos da safra 2019 e da safra 2020, e é nítida a evolução da qualidade dos produtos elaborados”, afirma o coordenador da pesquisa, Douglas Würz. “Esta evolução é resultado de melhorias realizadas no sistema produtivo das uvas, de cuidados com o processamento da uva e do uso de técnicas adequadas após o envase da bebida também, como utilização de insumos enológicos e armazenamento correto”, argumenta.

A pesquisa complementa o trabalho de qualificação dos produtores, que tem o objetivo final de consolidar a viticultura como uma importante atividade agrícola no Planalto Norte catarinense. Em parceria com a Epagri, o Câmpus Canoinhas realiza anualmente cursos nas áreas de produção de uvas e elaboração de vinhos, para que os produtores adquiram mais conhecimento sobre viticultura e enologia e, consequentemente, apliquem em suas propriedades. Com a suspensão das atividades presenciais, as formações acontecem de forma virtual.

Caracterização das amostras

Conforme professor Douglas, os dados da pesquisa de caracterização físico-química de vinhos de mesa e sucos de uva são indicadores tanto da evolução da qualidade dos produtos quanto da demanda dos temas dos cursos a serem ofertados aos produtores.

No ano passado, a pesquisa analisou 39 amostras - 19 de vinho de mesa tinto, oito de vinho de mesa branco, duas de vinho de mesa rosé e dez de suco de uva, de produtores dos municípios de São Bento do Sul, Campo Alegre, Mafra, Papanduva, Monte Castelo, Porto União, Bela Vista do Toldo e Canoinhas.

As amostras foram avaliadas conforme os parâmetros de densidade relativa, sólidos solúveis, grau Glucométrico, polifenóis totais, pH, acidez total, intensidade de cor e tonalidade de cor. Professor Douglas, que possui experiência em análise sensorial de vinhos e sucos, também realizou uma caracterização sensorial de todas as amostras, fazendo uma descrição individualizada das características visuais, olfativas e gustativas dos produtos.

Assim como no ano anterior, os resultados foram descritos em relatórios individuais para os produtores, com comentários sobre os valores obtidos, se estavam de acordo com a legislação e o que seriam índices considerados ideais, e com sugestões e recomendações para melhorar os produtos elaborados.

A diferença é que, por causa da pandemia e da suspensão das atividades presenciais, no ano passado não houve classificação, como em 2019, quando aconteceu o primeiro Concurso dos Melhores Vinhos e Sucos de Uva do Planalto Norte Catarinense, realizado pelo Câmpus Canoinhas em parceria com a Epagri e a Embrapa Clima Temperado – Estação Experimental de Canoinhas. Naquele ano, as 39 amostras inscritas, além da análise, foram avaliadas por um grupo de onze especialistas na área de viticultura, enologia e análise sensorial.

Para este ano, professor Douglas conta que a expectativa é reformular o concurso para ser realizado novamente. Além disso, o câmpus dará sequência aos cursos de capacitação e à pesquisa de caracterização físico-química dos vinhos e sucos de uva elaborados na região, para continuar acompanhando os resultados e avaliar a relação entre a profissionalização dos participantes e a qualidade das bebidas elaboradas.

CÂMPUS CANOINHAS PESQUISA

Nó: liferay-ce-prod03

Este site usa cookies para garantir que você obtenha a melhor experiência. Leia Mais.