Pular para o conteúdo

Notícias

Câmpus Palhoça Bilingue realiza Fórum Estadual de Educação Bilingue para Surdos

EVENTOS Data de Publicação: 08 nov 2019 15:36 Data de Atualização: 08 nov 2019 15:53

Na quarta-feira, 6 de novembro, o Câmpus Palhoça Bilíngue do IFSC organizou o Fórum Estadual de Educação Bilíngue para Surdos. O Fórum contou com o apoio da Secretaria de Estado de Educação e teve como tema “Políticas educacionais e linguísticas”.

Em sua primeira edição, o objetivo foi fomentar o debate sobre as políticas educacionais e linguísticas da educação bilíngue e refletir sobre os desafios da implantação de escolas e classes bilíngue, além de propor ações conjuntas que possam ser realizadas no Estado de Santa Catarina. Na abertura, a diretora-geral do Câmpus Palhoça Bilíngue, Carmem Cristina Beck, ressaltou que o evento é reflexo de muitas experiências que já aconteceram e que estão agora sendo trazidas para discussão, permitindo que sejam pensadas estratégias em conjunto para garantir uma educação de qualidade para as crianças surdas.

Priscilla Gaspar, Secretária Nacional dos Direitos da Pessoa com Deficiência do Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, fez a palestra de abertura do evento, abordando os direitos da criança surda. Em sua fala, ressaltou que para que a educação de surdos possa acontecer é preciso que as associações de surdos sejam valorizadas e incentivadas.

O evento contou ainda com a fala da professora e pesquisadora da UFSC Ronice Müller de Quadros, que apresentou os números da educação bilingue no Brasil e reforçou a necessidade de que os surdos se unam para construir a consciência surda; e da representante da Fundação Catarinense de Educação Especial (FCEE), Jeane Rauh Probst Leite, que falou sobre o histórico da educação de surdos em Santa Catarina desde a implantação da Política Estadual de Educação de Surdos em 2004.

À tarde foi realizada uma mesa-redonda para discutir as possibilidades para a implementação de uma política de educação bilíngue para surdos na educação infantil e nos anos iniciais do ensino fundamental em Santa Catarina. A mesa teve a participação da secretária Nacional dos Direitos da Pessoa com Deficiência, Priscilla Gaspar, da coordenadora do Centro de Capacitação de Profissionais da Educação e de Atendimento às Pessoas com Surdez da Fundação Catarinense de Educação Especial, Fernanda Andrade, da presidente da Associação de Surdos da Grande Florianópolis, Sandra Lúcia Amorim, e da representante da União Nacional dos Dirigentes Municipais de Educação de Santa Catarina, Valéria da Silva e Souza.

O Fórum teve a participação de cerca de 180 pessoas, entre estudantes, gestores e professores das redes municipal, estadual e federal de educação e comunidade surda. Ao final do evento, foi gerado um documento que contempla uma proposta para a implantação da política de educação bilíngue para surdos na educação infantil e nos anos iniciais do ensino fundamental em Santa Catarina, que será entregue à Assembleia Legislativa em dezembro.

EVENTOS